Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

.chega, sabe.

.
.
.
.quanto tempo investido em ser
o que não se quer ser.

.
.
.
Chega, sabe. Tem horas que a gente tem que dar um basta nas coisas. Parar mesmo de repetir certas atitudes, que viraram vícios. Coisas que não nos agradam e que fazemos pela rotina, pra agradar, pra fazer social. Chega, porque o relógio não perdoa, o tempo passa... e a gente passa junto. Mude agora, ainda dá tempo! Mudanças vão fazer você sentir dor. Mas a vida é assim mesmo, sempre vai ter algo para doer, algo para machucar, algo para resolver. Então que doa por algo de bom que vai acontecer depois disso. Revolte-se! Jogue para o alto! Faça a sua parte! O mundo que se vire! O universo que faça a parte dele!

15 comentários:

  1. hahahaha...
    Eu gosto muito de pensar no que as pessoas vão entender sobre o que eu escrevo. Eu gosto de pensar, mas eu não preocupo com isso.

    Tem até uma teoria que fala sobre isso, no que 'contamina' a nossa escrita. Ui, mas eu não quero falar em teorias...

    Na semana passada eu assisti uma aula sobre 'escrita acadêmica', onde a professora falava que há uma diferença importante naquilo que eu penso, naquilo que eu consigo escrever daquilo que eu penso e AINDA naquilo que as pessoas vão entender do que eu escrevi daquilo que eu penso.

    Ui, que cansativo! Já imaginou a gente tendo que escrever o tempo todo pensando no que as outras pessoas vão entender? Ai não! Cada um que pense o que quiser! Cada um entenda o que quiser conforme a sua capacidade de raciocínio!

    Contaminada é a cabeça das pessoas, não a escrita!

    E para aqueles que nunca entendem os meus posts, lá vai uma dica:

    Decidi fazer PSICOLOGIA! Cansei de ser 'doutora', agora quero me tratar junto com os pacientes!

    hahahaha

    ResponderExcluir
  2. Essa coisa de se fazer entender é complicada mesmo! Comigo acontece muito, de eu falar uma coisa num tom e a pessoa entender outro... afff

    ResponderExcluir
  3. MUITO BOM:

    "Ai não! Cada um que pense o que quiser! "

    ResponderExcluir
  4. E pra começar com a mudança... Comecei em mim:

    20 cm a medos de cabelo...
    E aí?

    Não sei ainda... Deixa eu me adaptar depois eu conto...

    ResponderExcluir
  5. ai, encurtar o cabelo é sinal de que estamos ficando velhas hehehe

    ResponderExcluir
  6. Unless you're getting paid for people to understand. Then that luxury disappears. :P

    ResponderExcluir
  7. Ou sinal de que estamos perdendo os medos!

    ResponderExcluir
  8. Acertou em cheio, Carla... Perdendo os medos!

    Minha frase para hoje: #perdendoosmedos

    ResponderExcluir
  9. hahaha.. mas aqui no blog ninguém está sendo pago... :o)

    ResponderExcluir
  10. Eu ainda tenho vários medos... mas já cortei curtinho 2 vezes. É muito bom... depois cresce ;)
    Beijosss

    ResponderExcluir
  11. sobre interpretação:

    ____________________

    é um risco, alguém leu Francisco?

    ResponderExcluir
  12. Boa, Feio!

    Salve o Francisco! [ ou seria o risco? ]

    :o)

    ResponderExcluir
  13. Sobre os 'riscos e os Franciscos', estava pensando aqui nas pessoas que complicam as coisas...

    naquelas pessoas que transformam os laços em nós...

    sabe aquelas pessoas que não sabem criar laços e que, não satisfeitas, pegam os laços dos outros e transformam em nós?

    Chega, sabe!

    ResponderExcluir
  14. Chega de desatar os nós dos outros;
    Chega de esperar por quem não vem;
    Chega de fazer o que não se quer fazer;
    Chega de fazer social;
    Chega de agradar os outros e não a si;
    Chega de esperar;
    Chega de planos no papel;
    Chega de tentar entender;
    Chega de explicações;
    Chega disso!

    Está na hora de fazer diferente!

    ResponderExcluir