Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Three tunes for your enjoyment: Or, a longing to return

So, on my way back to the States from Brazil, I was browsing the duty free shop and I came across the soundtrack to the documentary film Vinicius (http://www.imdb.com/title/tt0493175/) (yes, yes, the very one: de Moraes ;). Thinking of Carla’s passion for his poems and songs, and being a casual fan myself, I bought the CD to see what all the fuss is about—to learn more.

Well, the CD doesn’t disappoint. The renditions of the songs, even the well-known ones, are unique and moving.  

Listening to the music, I felt lust like when Mart’nália (http://www.martnalia.com.br/) sings “Sei lá…a vida tem sempre razão”:

Tem dias que eu fico
Pensando na vida
E sinceramente
Não vejo saída
...
Depois da chegada
Vem sempre a partida
Porque não há nada
Sem separação

The inevitable arrival, departure, and separation came up again in the heart-breaking and intriguing “Pau-de-arara (Comedor de gilete)” sung in this case by Sérgio Cassiano (http://www2.uol.com.br/sergiocassiano/ ). Despite the hunger in his Ceará, and even worse hunger in Copacabana, the singer longs to return where at least he has a name:

Vou-se embora pro meu Ceará
Porque lá tenho um nome
E aqui não sou nada, sou só Zé-com-fome

I thought of a related theme that shows up in Ryan Bingham’s (http://www.binghammusic.com/ ) “Hallelujah”

which relates the story of another poor and starving wanderer who is shot dead by a frustrated thief. Despite his relief that there:
 
Ain't no more begging on the side of the road
Ain't no more sleeping on the edge of a frown
Ain't no more favors from someone I don't know

He is not all relieved, and feels life pulling him back


So tell me now if your singing can bring me
Another day with my feet on the ground
I miss living and living misses me

somethings wrong cause you know I still feel alive

And this longing to still be alive somehow brings him back (?)

I'm not a one nighter
I ain't a flat liner
I've never came between the harmonies you're singing loud
Hallelujah

8 comentários:

  1. Tem dias que eu fico pensando na vida
    E sinceramente não vejo saída.
    Como é, por exemplo, que dá pra entender:
    A gente mal nasce, começa a morrer.

    Depois da chegada vem sempre a partida,
    Porque não há nada sem separação.
    Sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão.
    Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão.

    A gente nem sabe que males se apronta.
    Fazendo de conta, fingindo esquecer
    Que nada renasce antes que se acabe,
    E o sol que desponta tem que anoitecer.

    De nada adianta ficar-se de fora.
    A hora do sim é o descuido do não.
    Sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão.
    Sei lá, sei lá, a vida tem sempre razão.

    ResponderExcluir
  2. Eu um dia cansado que tava da fome que eu tinha
    Eu não tinha nada que fome que eu tinha
    Que seca danada no meu Ceará
    Eu peguei e juntei um restinho
    De coisas que eu tinha
    Duas calça velha e uma violinha
    E num pau-de-arara toquei para cá
    E de noite eu ficava na praia de Copacabana
    Zanzando na praia de Copacabana
    Cantando o xaxado pras moças olhar
    Virgem Santa! Que a fome era tanta
    Que nem voz eu tinha
    Meu Deus quanta moça, que fome que eu tinha...
    Zanzando na praia pra lá e pra cá

    Puxa vida, não tinha uma vida pior do que a minha
    Que vida danada que fome que eu tinha
    Mais fome que eu tinha no meu Ceará
    Quando eu via toda aquela gente num come-que-come
    Eu juro que tinha saudade da fome
    Da fome que eu tinha no meu Ceará
    E aí eu pegava e cantava e dançava o xaxado
    E só conseguia porque no xaxado
    A gente só pode mesmo se arrastar
    Virgem Santa! A fome era tanta que mais parecia
    Que mesmo xaxando meu corpo subia
    Igual se tivesse querendo voar

    Vou voltar para o meu Ceará
    Porque lá tenho nome
    Aqui não sou nada, sou só Zé-com-fome
    Sou só Pau-de-Arara, nem sei mais cantar
    Vou picar minha mula
    Vou antes que tudo rebente
    Porque tô achando que o tempo tá quente
    Pior do que anda não pode ficar!

    ResponderExcluir
  3. The other day I found myself up on the corner
    I thought I run into a friend of mine
    Ended up that he was just a stranger
    I said hello as he passed me by

    Then he turned and put a gun to my head
    He said, My friend I'm going to rob you blind
    I said You must be out of your luck
    I ain't got no money and I'm all out of time

    He pulled the trigger and I fell to my knees
    My spirit left and then my body went cold
    I'm looking down upon the lights of the city
    I feel alive, but I'm dead and gone

    Ain't no more begging on the side of the road
    Ain't no more sleeping on the edge of a frown
    Ain't no more favors from someone I don't know
    There ain't nobody to hear me, there ain't nobody around

    Hallelujah, somethings wrong
    Hallelujah, somethings wrong
    Hallelujah, dead and gone
    Hallelujah, it's just a song

    So tell me now if your singing can bring me
    Another day with my feet on the ground
    I miss living and living misses me
    I miss it so, that it's holding me down

    For all the things that I never could change
    For all the reasons that I never understood why

    I'm dead and gone, baby
    There's somethings wrong, baby
    Oh somethings wrong cause you know I still feel alive

    My train is rolling down the line
    and I'm waiting for it to bring me a dream
    of holding you up in my eyes

    I'm dead and gone, baby
    I'm so alone, baby
    And hear my song cause I'm coming down

    I'm not a one nighter
    I ain't a flat liner
    I've never came between the harmonies you're singing loud

    Hallelujah, somethings wrong
    Hallelujah, it's just a song
    Hallelujah, somethings wrong
    Hallelujah, it's just a song

    The other day I found myself up on the corner
    I thought I run into a friend of mine

    ResponderExcluir
  4. Sim, é verdade, eu não estou realmente em Mesa 2 hoje. Estou passando o tempo aqui no canto melancólico de Carla. hehehe...

    ResponderExcluir
  5. Ai, ai, ai... até eu já estou me achando melancólica!!!

    E pelo jeito isso pega!!! hehehe

    ResponderExcluir
  6. Hj eu tô assim:

    "cadê a saída, please?"

    :-(

    .....................

    ResponderExcluir
  7. Grassi!!!

    Acho que todo mundo tem pouco de melancolia. [ ai que alívio! ]

    hahahaha

    E como tu mesma disse na tua mesa semana passada:

    'E que você descubra
    Que rir é bom
    Mas que rir de tudo
    É desespero...'

    ;o)

    ResponderExcluir
  8. Deryl,

    Estava lendo esse trecho da música do teu post:

    Vou voltar para o meu Ceará
    Porque lá tenho nome
    Aqui não sou nada, sou só Zé-com-fome

    Fiquei lembrando das coisas que eu pensava enquanto estava nos EUA... de quando eu saía nas ruas e pensava que podia vestir o que quisesse, porque ninguém me conhecia mesmo.

    Era uma liberdade, libertadora! [ redundante, assim mesmo ]

    Ao mesmo tempo esse anonimato me incomodava... às vezes queria ter por perto àqueles que me conheciam e sabiam quem eu era.. no sentido de 'pessoa' mesmo e não como profissional.

    Muito 'louco' tudo isso!!!
    Quantas vezes quis 'voltar para o meu Ceará'!

    ResponderExcluir