Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

.quando palavras valem mais que mil gestos.



Tenho uma amiga que se orgulhava de, em 23 anos de casamento, nunca ter dito “eu te amo” para o marido. Batia no peito como uma vencedora, como o lado vitorioso de um eterno jogo de sedução, em que apenas uma parte cede, e outra capitula. Sua estratégia, garante, deixou-o sempre apaixonado, “no cabresto”. Quando ela o conheceu, disse-me, ele não era o homem sensível que se tornou ao longo de duas décadas, mas um rapaz agitado, que não parava com ninguém. “Eu nunca telefonei para ele para nada”, festejava. “E ele sempre me ligou”.

No fim do ano passado, uma tragédia abateu-se sobre esse casal. O marido teve um ataque cardíaco fulminante e não resistiu. Minha amiga não teve tempo de se despedir, nem mesmo de tentar salvá-lo — foi um enfarto de uma rara violência. O golpe lhe foi fatal; ela o adorava, mas não a ponto de lhe contar que o amava.


Esse trecho saiu de uma reportagem da Revista Época (acesse aqui a reportagem na íntegra), intitulada Se você ama, por que não diz?

Essa reportagem me sensibilizou imensamente. Infelizmente as pessoas deixam passar oportunidades, momentos, instantes sem demonstrar aquilo que sentem e quando percebem que deveriam ter feito... não há outra chance.

Muitas vezes é o instante que morre, o momento que finda, a oportunidade que passa... E aí... aí já foi! Não há mais o que fazer... Foi tanta economia de palavras que o outro já não está mais lá para ouvir... o outro já nem quer mais ouvir.

Por que somos tão abundantes com críticas e tão econômicos com elogios?

Não sei explicar. Eu procuro não economizar palavras, sentimentos... Então não entendo as pessoas que não conseguem dizer que amam as pessoas que amam. Não consigo entender essa economia de palavras. Concordo que gestos sinceros valem mais que mil palavras 'mascaradas'. Mas não é disso que estou falando aqui. Falo de sentimentos verdadeiros que não são expressos verbalmente. Falo de momentos que passam e não voltam jamais.

Num mundo sem toques, olhares e os sons das vozes, de carinhos vazios de Twitter e Facebook, protegidos pela tecla de um computador, o grande desafio do ser humano é ir além do “cutuco” das redes sociais, pegar um carro, enfrentar o trânsito, subir o evelador, tocar a campainha e dizer, sem medo, o que sente.

Como dizia o Vinícius: e cada verso meu será pra te dizer que eu sei que vou te amar por toda a minha vida...

Sábio Vinícius!

sábado, 28 de janeiro de 2012

Já deu um abraço hoje?

Publicitários cansados depois de um dia complicado de traballho, tiveram a ideia de criar um site para espalhar abraços pelo mundo. Para consolidarem o projeto, Jeff Lam e Lauren Perlow partiram pelas ruas de São Francisco, Califórnia, coletando vídeos de abraços de pessoas diferentes, informa portal Mashable.

O site chamado The Nicest Place on the Internet foi criado com o intuito de alegrar a vida de pessoas que estão passando por dias difíceis. Em apenas um final de semana, os publicitários gravaram mais de 30 vídeos e surpreenderam muitas pessoas com um simples pedido: “me dá um abraço?”.

Com mais de 200 vídeos anexados, o site recebe 10 novos vídeos de abraços e sorrisos todos os dias. Os visitantes também podem enviar seus vídeos e ajudar a alegrar o dia de alguém.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

.pontuação.

.
.

.somos assim.


Sonhamos o voo, mas tememos as alturas.

Para voar, é preciso ter coragem para enfrentar o terror do vazio. Porque é só no vazio que o voo acontece.

O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Mas é isto que tememos: o não ter certezas.

Por isso trocamos o voo por gaiolas.

As gaiolas são o lugar onde as certezas moram. [  Rubem Alves ]

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

.detox!

Oii gente!
Blz?

Hoje cedo li via facebook a atualização do blog de uma "amiga virtual", sobre yoga.

Religiões à parte acho essa prática e cultura bem interessantes. E por isso resolvi trazer aqui para a mesa.

Que fique bem claro: não tenho conhecimento algum sobre a área. Participei algumas vezes de aulas de yoga, mas tudo meio sem aprofundamento. A primeira vez fui para acompanhar uma amiga... E a segunda: pq gostei ;-P. Em seguida tive que parar... Rotina maluca... Sabem bem como funciona né?!

Mas... Como férias servem para "inventar coisas"... Eis que estou aqui... Louca para fazer uma outra aulinha!

Na verdade o assunto não é sobre as aulas propriamente ditas. Meu comentário tratará sobre um outro tema transversal: a alimentação. A alimentação na cultura indiana [milenar]... É vista como um remédio também! "Você é o que você come". Nossa... Tri profundo isso! Verdade! Não estou sacaniando.

Há um tempo atrás [nesta "vibe" das aulas] assisti a uma palestra sobre alimentação ayurvédica, com a Terapeuta Ayurvédica Laura Pires [http://buscadaessencia.blogspot.com/] que hoje está na India. Gostei tanto que resolvi marcar uma consulta. Marquei. Fui. Gostei. Fiz uma dieta de desintoxicação na época e curti pra caramba!

Cheguei ao ponto! Era sobre a dieta de desintoxicação que eu queria falar ;-). A "amiga virtual" que comentei no início do post chama-se Dany Sá. Dany estuda e pratica yoga há um tempo... Hoje cedo li em seu blog, curti e resolvi compartilhar com vocês:

     Final de ano sempre é a mesma história: vem o período de festas, férias e viagens e acabamos mudando nossos hábitos rotineiros principalmente no quesito alimentação. O corpo acaba sofrendo as consequências e precisamos ter uma saída para não sacrificá-lo ainda mais.

    Ao longo do tempo, vamos produzindo muitas toxinas para o corpo através da alimentação, dos pensamentos e emoções. Um descanso para o organismo é necessário de vez em quando para que nossos orgãos também possam tirar umas férias merecidas e trabalhar menos.

    A Detox, como ficou conhecida hoje, pode ser traduzida como desintoxicação alimentar ou dieta anti-ama (toxinas). Este processo é milenar e utilizado pela medicina ayurvedica.

    A primeira vez que fiz a dieta foi em 2008 quando fiz um tratamento ayurvedico completo (panchakarma) que consiste além da dieta, limpeza interna dos orgãos necessários e massagens. Depois do tratamento, é necessário que você mantenha outro tipo de dieta com relação ao seu tipo físico (doshas). A avaliação do seu tipo físíco (kapha, vata e pitta) é feita por um profissional especializado em medicina ayurvedica.

Ficou curioso? Veja na íntegra:
danysayoga.blogspot.com

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

.¿?.

E se tudo fosse ao contrário?

A distancia seria perto, o vento seria assovio / o amor seria ódio, o calor seria frio / o telhado seria casa, o asfalto seria rio / a esperteza seria burrice, a vaidade seria brega / a sinceridade seria falsa, a justiça seria cega / A noite seria dia, o sol seria lua / a verdade seria minha e a mentira seria tua.

(...)


Saber o que dizer na hora certa e a pessoa certa é fundamental... essa história de meia palavra bastar, um olhar falar mais que mil palavras, é balela. É preciso dizer alto e bom som o que se quer dizer, mesmo que quem ouça (leia) fique em silencio fingindo que não está nem aí.

O interesse em ti acaba quanto tu perde a graça... óbvio! Dãã =P

(...)

Lá fora gritos e buzinas, aqui dentro tudo acontecendo naturalmente, sem pressa, sem medo, (¿)sem incertezas(?)
Lá fora raios e trovoadas, aqui dentro... aqui dentro coração.
Lá fora o mundo gira, aqui dentro... eu, você e nós.


(...)

Quem pergunta
Quem responde
Quem finge saber.
Quem assume
Quem assombra
Quem faz sombra,
Não sabe viver.
Quem aposta
Quem acredita
Quem não quer perceber.
Quem não “riu”
Quem vê o mar
Quem não sabe amar
Merece sofrer

(...)

La Fin
La Fine
El Fin
Na Deireadh
The End
Fim

.\o/.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Simplesmente o melhor

Podem me chamar de maluca, mas eu me sinto muito forte quando ouço essa música!

Yeah!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

.toca aqui (VI).

.quanto vale uma coroa.

Bom dia, meu povo!

Como de costume, hoje eu ia escrever na minha mesa sobre Bossa Nova [ que eu amo ], mas lendo a revista Veja desta semana resolvi trazer para a discussão o Samba, ou melhor, o Carnaval.


Mas o tópico que eu queria abordar aqui, hoje, são as Rainhas de Bateria.

Já que temos acesso ao blog de vários locais do mundo, acho que vale o esclarecimento do que significa ser uma Rainha de Bateria no carnaval. Rainha de Bateria [ e suas derivadas: madrinha, musa, e princesa] é uma espécie de cargo figurativo onde pessoas da comunidade ou por vezes artistas famosas são escolhidas para desfilar à frente da bateria da escola de samba.



A figura das rainhas de bateria surgiu na década de 1970, quando a famosa mulata Adele Fátima, veio à frente da bateria da Mocidade Independente, fato inédito, até então, mas se popularizou na década de 80 com a modelo carioca e pioneira Monique Evans, que em 1985, foi a primeira “famosa” a assumir o posto de rainha de bateria.

A modelo Gracyanne Barbosa, dançarina profissional, já desfilou à frente da bateria de várias escolas de samba. Ela sabe sambar e exibe um corpo, no mínimo, bem preparado para suportar todo o desfile na avenida. Como diz a Veja, 'tem méritos que, sob a lógica da folia, a credenciariam ao posto em qualquer escola.'

Mesmo assim, o marido, o cantor Belo, precisou ir à quadra da Unidos da Tijuca no ano passado para fazer uma oferta ao presidente: se a Gracyanne se tornasse a Rainha de Bateria neste carnaval, o marido, em troca, faria 4 shows na quadra da escola de samba.

E adivinhem? Negócio fechado! E lá se foi o posto da Adriane Galisteu que era a Rainha de Bateria da escola há 6 anos.


É época de negociações no mundo do Carnaval: agora as escolas querem lucrar negociando o trono. 'Depois do império das modelos esculturais, do reinado das celebridades globais e do domínio das popozudas, a Sapucaí deste ano será das musas 'filantrópicas'. Aff!

O presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel foi bem claro ao dizer: 'Aqui, para ser Rainha de Bateria, tem que pagar!' Mais especificamente com 300.000 reais, segundo a Veja. E a 'eleita' da escola para este ano é a atriz Antonia Fontenelle [ mulher de um dos Diretores da Globo ]. Conforme o Presidente da Escola: 'ela não é muito bonita e nem sabe sambar direito, mas tem caráter'.

É lastimável! Tudo bem que seria muito lindo que uma Rainha de Bateria tivesse beleza, samba no pé e caráter. Mas se anda muito difícil encontrar tudo isso junto, não dá para escolher, no mínimo, o samba no pé? Uma pessoa que precisa pagar para se tornar a eleita, não posso afirmar se tem ou não caráter, mas posso dizer que, no mínimo, tem dinheiro. E sendo feia e não sabendo sambar, dá para afirmar que tem também muita coragem!

Como disse a 'destronada Adriana Bombom': Na minha época, as rainhas tinham de saber sambar. Hoje basta pagar. Não precisa nem arrastar o chinelo.'

Na minha época de espectadora também, Bombom!

domingo, 22 de janeiro de 2012

.ai, floquinha.

"Era uma vez uma floquinha de neve que vivia no alto de uma montanha gelada. Um dia, apaixonou-se perdidamente pelo sol. E passou a flertar descaradamente com ele.

- Cuidado!!!, alertaram os flocos mais experientes: Você pode derreter!

Mas a floquinha não queria nem saber e continuava a olhar para o sol, que com seus raios a queimava de amor. Ela nem percebia o quanto se derretia…



Ficou ali ainda um bom tempo, só se derretendo, se derretendo.

Quando viu, era uma gotinha, uma pequena lágrima de amor descendo, com nobreza e delicadeza, a montanha.

Lá embaixo, um rio esperava por ela."

Dan Stulbach lê carta que escreveu para si mesmo

Achei muito bacana esse video. Se você é sensível, pegue lenços.



Quem já pensou em escrever uma carta para si mesmo? Faça sua cartinha e abra 10 anos depois aqui: http://capsuladotempo.com.br/.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Dica de filme

Baseado no best seller autobiográfico Adeus China: O último bailarino de Mao, escrito por Li Cunxin, o filme é uma adaptação magnífica de uma história real.

De uma sensibilidade sem tamanho. Vale cada segundo.

.não faça falta, faça alguma coisa.



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

.bahhhh!

Oi gente...
Sorry pela troca de mesa essa semana... Estive mal pra caramba ontem...

Agora tô melhor...
E pra deixar a vida mais doce... Duas dicas:

I ) o que se leva da vida... é a vida que se leva (by Rafael Netto num momento reflexivo, depois de duas ou três Heineken® hihihh)...

E viva aos encontros de verdade!!!


II ) Doce, doce, doce... A vida é um doce...


Mil Folhas de Doce de Leite [ah, mumu, vai ;-)] do Bah*, putz... Bahhh é tri bom!


*Bah é um restaurante no Barra Shoping - POA.

.tantas emoções.

Especialistas em desenvolvimento infantil explicam que as crianças se comunicam desde muito cedo com os pais, através da troca de olhares, sorrisos, choro, etc. Nós, que somos pais, sabemos que eles se fazem entender quando querem... que entendem muito do que queremos lhes dizer, mais pela entonação, forma de falar, expressões em nosso rosto, do que pelas palavras propriamente.

Nossa filha tem 1 ano e três meses e utiliza pouquíssimas palavras em seu vocabulário. Muitas delas são somente variações de mamãe e papai.


Mas hoje descobrimos algo muito interessante: ela simplesmente se emocionou com uma música em um filme/desenho chamado Bolt – o supercão.

Ela adora a história do cachorrinho! Dá vários gritos de alegria cada vez que aparece o cãozinho na tela. Entretanto em um determinado momento do filme, onde começa uma música.. tipo de um clipe com imagens alegres do Bolt brincando e aprendendo algumas coisas.. ela começa a fazer um beicinho e uma carinha de triste.. e as lágrimas começam a correr em seu rosto.

Não é um choro escandaloso, como ela faz quando está com fome ou com algum machucado.. é um chorinho contido.. tipo o que a gente faz ao se emocionar com alguma coisa.. com um filme que assistimos.

Segue o vídeo:


Nem preciso dizer que quase chorei junto, né?! Minha bebezinha tá crescendo.. e é muito sensível, coitadinha!
.
.

.combinação.


.Paris, te quero.


.nota mental (II).


.quem acha que sempre terá um amanhã para fazer o que quer, 
acaba perdendo todos os dias de hoje e todos os momentos de agora.



.toca aqui (V).

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

.quase lá.

          Ontem à noite recebi uma ligação da minha filha número 1, Maria Fernanda, que ainda está em Uruguaiana com o Guilherme, filho número 3... Conversamos o que tínhamos para conversar, dizemos o que havia para ser dito. Ela chamou o Gui para falar comigo e tal (que saudades)... Foi então que ele perguntou pelo José, filho número 2 que está aqui conosco desde segunda, eu respondi: - O José está dormindo, querido. - Então acorda! Quero falar com ele. Respondeu ele com quatro anos de idade, decidido e bem determinado.

          Chamei o José, conversaram um tempo, se despediram e desligaram. Passaram-se, no máximo, dois minutos o celular toca novamente, era o Guilherme com a voz embargada pedindo para falar com o José mais uma vez, eu insisti querendo saber o que havia acontecido, ele disse que não era nada, “precisava conversar” com o irmão. O José atendeu, não sei exatamente o que conversaram, mas percebi ali uma cumplicidade, uma amizade entre irmãos que me deixou o cara mais feliz do mundo e por alguns minutos o pai mais emocionado e chorão do universo... A minha sorte que desta vez eu tinha a quem abraçar.

          Nessa função de mudança e de estar longe da família esses 120 dias, acabei me lembrando de como foi outra mudança que tive em 1979, de Ijuí para Uruguaiana... foi bem assim, meu pai foi antes e nós (mãe e mais três irmãos) ficamos esperando a nossa vez. Eu tinha a mesma idade que o Guilherme, 4 anos e era o caçula, lembro que todos os dias eu ia para frente de casa, no portão, esperar meu pai. Não sei dizer quanto tempo ele ficou fora, lembro apenas que demorou, muito.

          Hoje, querendo tentar lembrar o que eu senti na época, e graças a Deus nessa lembrança o Google não entra, consigo (será?) mensurar a tamanha saudade que o Guilherme está sentindo de mim, e agora da mãe e do irmão.

          Ah, saudade...
          Saudade essa que me consome, que me mostra o quanto é bom viver e poder ter a quem sentir...
          Ah, Saudade...
          Não sei o que eu faria se não existisses.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

.o haver.

Hoje resolvi compartilhar com vocês esta poesia do Vinícius de Moraes [ linda ], que eu me emocionei lendo.

É de uma sensibilidade tão grande.



O Haver


Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura
Essa intimidade perfeita com o silêncio
Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo

[...]

Resta essa imobilidade, essa economia de gestos
Essa inércia cada vez maior diante do Infinito
Essa gagueira infantil de quem quer balbuciar o inexprimível
Essa irredutível recusa à poesia não vivida.

Resta esse coração queimando como um círio
Numa catedral em ruínas, essa tristeza
Diante do cotidiano, ou essa súbita alegria
Ao ouvir na madrugada passos que se perdem sem memória...

Resta essa vontade de chorar diante da beleza
Essa cólera cega em face da injustiça e do mal-entendido
Essa imensa piedade de si mesmo, essa imensa
Piedade de sua inútil poesia e sua força inútil.

Resta esse sentimento da infância subitamente desentranhado
De pequenos absurdos, essa tola capacidade
De rir à toa, esse ridículo desejo de ser útil
E essa coragem de comprometer-se sem necessidade.

Resta essa faculdade incoercível de sonhar
De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade
De aceitá-la tal como é, e essa visão
Ampla dos acontecimentos, e essa impressionante

E desnecessária presciência, e essa memória anterior
De mundos inexistentes, e esse heroísmo
Estático, e essa pequenina luz indecifrável
A que às vezes os poetas dão o nome de esperança.

Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
Infantil de ter pequenas coragens.



15/04/1962


A poesia acima foi extraída do livro "Jardim Noturno - Poemas Inéditos", Companhia das Letras - São Paulo, 1993, pág. 17.

domingo, 15 de janeiro de 2012

.o fim da solidão.

...contando as horas para o domingo virar segunda...

Família grande vem aos poucos, por lote, o primeiro lote chega segunda, o segundo lote semana que vem e o terceiro... chega!!! casa cheia = )



Eu sem você não tenho porquê
Porque sem você não sei nem chorar
Sou chama sem luz, jardim sem luar
Luar sem amor, amor sem se dar
Eu sem você sou só desamor
Um barco sem mar, um campo sem flor
Tristeza que vai, tristeza que vem
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
Ah, que saudade
Que vontade de ver renascer nossa vida
Volta, querida
Os meus braços precisam dos teus
Teus abraços precisam dos meus
Estou tão sozinho
Tenho os olhos cansados de olhar para o além
Vem ver a vida
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
Eu sem você não tenho porquê
Porque sem você não sei nem chorar
Sou chama sem luz, jardim sem luar
Luar sem amor, amor sem se dar
Eu sem você sou só desamor
Um barco sem mar, um campo sem flor
Tristeza que vai, tristeza que vem
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
Ah, que saudade
Que vontade de ver renascer nossa vida
Volta, querida
Os meus braços precisam dos teus
Teus abraços precisam dos meus
Estou tão sozinho
Tenho os olhos cansados de olhar para o além
Vem ver a vida
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
Sem você, meu amor, eu não sou ninguém


=)

sábado, 14 de janeiro de 2012

Beber cerveja todo dia faz bem e combate até diabetes



A cerveja foi elevada ao status do vinho no que diz respeito aos benefícios à saúde. Um novo estudo espanhol comprovou que tomar uma caneca da bebida por dia combate diabetes, evita ganho de peso e previne contra hipertensão. Além de ter graduação alcoólica baixa, a cerveja contém ainda ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio - nutrientes que protegem o sistema cardiovascular.
"Nesse estudo, nós conseguimos banir alguns mitos. Sabemos que a cerveja não é a culpada pela obesidade, já que ela tem cerca de 200 calorias por caneca - o mesmo que um café com leite integral, destaca a médica Rosa Lamuela, uma das responsáveis pela pesquisa feita em parceria entre a Universidade de Barcelona, o Hospital Clínico de Barcelona e o Instituto Carlos III de Madri.
Os especialistas afirmam também que a cerveja não é a responsável pelo aumento da gordura abdominal. A culpa, na verdade, seria dos aperitivos gordurosos, como salgadinhos e frituras, que grande parte das pessoas consome junto à bebida.
O estudo, realizado com 1.249 homens e mulheres acima de 57 anos, indica que mulheres podem tomar dois copos pequenos de cerveja por dia, enquanto para os homens estão liberados até três copos. Contudo, o hábito deve estar associado a uma dieta saudável e a exercícios físicos regulares." (Fonte: Revista Veja.)

Então, que venha o final de semana e as cervejinhas! Cheers!

Fonte: Revista Veja.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

.legião.

...sempre quis assistir ao vivo o show da Legião Urbana... lembro que nos reuníamos na casa de alguém pra cantar Legião, a cada disco lançado.  Regado de muita coca cola e xis salada. Que tempo, que momento, que fase... que banda!

Hoje, agora, nesse exato momento em que escrevo, a Legião Urbana está no Planeta de Floripa... emocionante.

pra mim, esse foi o melhor disco dos caras
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Perfeito

.novo cosmético.


Ainda não vende na Avon. Procure um publicitário!


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Cerveja: Liefmans FrambozenBier: uma bebidinha gostosa!

Um amigo me trouxe de Punta... Essa bebidinha gostosa!

Fica a dica!
"(...) Tive a oportunidade de tomar uma FrambozenBier, que é apreciada a temperatura entre 4° a 7° Celsius para se sentir seu gosto claro. É preparada baseada na colheita da Framboesa, elas são adicionadas a Liefmans Goudenband, que lhe dá seu sabor acentuado da fruta. (...)"
(...) A Cervejaria Liefmans é um das raras cervejarias na Bélgica que produz ainda a cerveja inteiramente natural. A Fermentação é feito nos tanques abertos. Liefmans Oud Bruin em janeiro e Liefmans Goudenband são exemplos apropriados disto. Há também Liefmans Kriek, uma cerveja da cereja, com seus gosto e sabor frutado, produzida uma vez por ano na altura da colheita da cereja, uma cerveja macia e intensa, de uma cor avermelhada.(...)

Show de bola!

E fica linda no copo! Uma cor lindaaaa!!! Pena que eu só tive essa ideia [de fotografar e postar] depois que terminamos a garrafinha :-(.

[]s 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

.ideota.




Putz, sentir dor e não sabe explicar... é phoda!
Bem que dava para acrescentar naquela minha Idea de se ter um chip de memória instalado na alma para se lembrar de vidas passadas, um sensor de defeitos e diagnóstico de dores via cabo USB. Era só enviar um e-mail para o médico com o relatório anexado... simples assim.
- Bah, que dor de cabeça!! Quem pegou o cabo USB que estava aqui agorinha mesmo!?!?!? Preciso encaminhar um checap ao Dotô.
Já posso até imaginar os aplicativos a serem baixados... Vá que  no meio de uma crise o aplicativo te pede um upgrade. Melhor deixar quieto, às vezes é bom sentirmos dor para não esquecermos quanto é bom e fácil ser feliz.








IDEOTA = IDEIA IDIOTA

 

.55°.

Esse mundo tá mesmo virado, chove onde não tem que chover e não chove onde precisa... a natureza perdeu o rumo, perdeu a noção de sentido e tempo... perdeu o prumo. Não é de se duvidar se os caras quiserem reclassificar o Brasil da sua qualidade de país tropical.
Gostaria tanto de mostrar para os meus filhos como eram o clima e as coisas...  (acabei lembrando de um e-mail sobre a água que rolou na web)
Mas é isso, faz parte da evolução natural, mudanças, transformação.

Adaptar-se está cada vez mais difícil... a impressão que eu tenho é que tudo aquilo que se passavam nos filmes de ficção está se tornando real! A arte deixa de imitar a vida para se tornar o espelho de si mesma. Não quero nem lembrar dos filmes que assisti e me arrependi de ter assistido, pra não deprimir.


Nota mental para uma próxima vida:
- Quando criança, não querer que a ficção se torne realidade (malditos poderes)

.de fé.

Sempre que eu preciso
Me desconectar
Todos os caminhos
Levam ao mesmo lugar
É meu esconderijo
O meu altar
Quando todo mundo
Quer me crucificar...
Eu só quero estar
Com você!
Ficar com você!...
Quando o tempo fecha
E o céu quer desabar
Perto do limite
Difícil de agüentar
Eu volto prá casa
E te peço prá ficar...
Em silêncio
Só ficar...
Eu tenho muitos amigos
Tenho discos e livros
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você...
Tenho sorte e juízo
Cartão de crédito
E um imenso disco rígido
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você
Quando eu mais preciso
Eu só tenho você...
Tenho a consciência em paz
(Só tenho você)
Tenho mais do que eu preciso
(Só tenho você)
Mas, se eu preciso de paz
Eu só tenho você
Tenho muito mais dúvidas
Do que certezas
Hoje, com certeza
Eu só tenho você...
Eu tenho medo de cobras
Já tive medo do escuro
Tenho medo de te perder...
(HG)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Amor grátis aqui!


Que tal aproveitar o dia de hoje para espalhar amor?
É só clicar aqui, baixar o arquivo, imprimir e espalhar amor e sorrisos por aí.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

.resolvi isso para esse new year bem lindo que começou. 

'...hoje acordo com um aprendizado dessa madrugada [...] Eu aprendi que ter paz dentro de si é melhor que ter qualquer coisa. Melhor que ter razão, melhor que ter milhas no cartão de crédito, melhor que ter um iPhone, melhor que ter ingresso pro show dos Beatles amanhã. Brincadeiras de lado, ter paz é a melhor coisa que a gente pode ter. Melhor que buscar sempre a última palavra, melhor que bater o pé no chão por alguma coisa que a gente jura, mas que na verdade nem deveria achar. Vamos procurar paz por todos lados, viver uma vida leve, simples e cheia de pernas para pedalar, trilhas para descer, momentos para dividir e água de cachoeira para nos refrescar. E o que não for isso, que não chegue nem perto.' [camardelli]

.a distância.

Pessoal, recebi este poema na Domingueira Poética e quis socializar com vocês.

Dizem que "se cada pessoa lesse ou ouvisse pelo menos um poema por dia, o mundo seria certamente melhor".


A  DISTÂNCIA
- Thales Paradela

- Falta muito?
- Tá chegando...
- Ainda?
- Tá chegando...
- De novo?
- Sempre!

Pela janela do trem, o tempo passa de revés. Relatividade tem de ter
sido deduzida num trem de beira do Rio Doce. Muito saculejado na
cabeça dá nisso.

- Ainda tá longe?
- Um dia chega...
- É antes ou depois daquele morro?
- É antes do que eu morro...

Trem segue pra lá, rio desce pra cá, tempo corre pronde? E o guardado
do tempo, escorre? Cai de lado? Em que margem do rio tenho que estar
pra pescar lembrança? Mas se eu trocar de margem, fisgo lembrança de
amanhã? O Doce é marron, chuva já foi mas com barro foi cotejando no
beiral da encosta, chegou marron no leito. Chuva torna a ser, clara.
Onde fica o bairro recolhido?

- De novo esta curva?
- É outra...
- Como que você sabe se vira igual?
- Não sei, mas a torneira é outra?
- Parece que não sai do lugar, sai?
- Só pra poder voltar...

Dormente de trem parece dormido, mas trilho eu asseguro que é sujeito
direito, reto. Leva sempre. Mas trilho tem final? Eles se juntam lá
nesse? Tem uns que leva e traz, é só trocar o lado do foguista. Que de
eu ir, passei por uma mangueira carregada, aguei. Foi chegar e
procurar um pé. Em que pé eu subi? Não é a mesma manga do caminho?
Esse quem plantou? Ou é a mesma, que o tempo plantou. Sei uns que
comeram, mas num vi quem plantou. Os de depois terão o de comer?

- Falta muito?
- Só um tempo...
- Tempo nunca é só! Falta.
- Acho até que o tempo é só...
- E chega onde?
- Tá vendo aquele abraço?
- Daqui parece pequeno...
- Pois é ali que chega.
- E qual a distância?
- Um metro depois da saudade!

sábado, 7 de janeiro de 2012

Chocolate chunk cookies

Esse video é uma homenagem aos leitores do blog, por tornar a nossa vida mais docinha. ;)

Chocolate chunk cookies - Recipe from Ana Martins on Vimeo.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

.lições de vida.


Esses dias me deparei com uma reportagem relatando uma situação que ‘falou’ alto ao meu coração!

A reportagem contava a história de Paul Flanagan, um inglês de 45 anos que descobriu que o câncer só lhe permitiria conviver com a família por mais alguns meses. Paul correu atrás do relógio.. curtiu muito o tempo com seus filhos (o menino tinha 5 anos e a menina 1 ano e meio). Comprou presentes para serem entregues às crianças nos próximos aniversários, escreveu cartinhas no estilo do filme P.S. Eu Te Amo, separou os livros preferidos.. várias coisas.

Mas a maior surpresa aconteceu quase dois anos depois do seu falecimento. Sua esposa estava mexendo no computador antigo da família e encontrou um texto intitulado “Sobre encontrar a realização”, onde Paul listava 28 dicas/valores para que os filhos alcançassem a felicidade em suas vidas.


São pontos que falam sobre humildade, educação, cordialidade, pontualidade, moral, várias coisas que sabemos ser importantes mas que, vezenquando, a loucura do nosso dia-a-dia nos leva a esquecer de praticar. (Veja a íntegra da reportagem aqui: Pai deixa 28 lições de vida aos filhos antes de morrer)

Tudo isso me levou a refletir sobre meu passado e meu futuro.

Sobre o passado: Meu pai era separado da minha mãe e morava no Rio de Janeiro. Eu tinha 13 anos e ele vinha para Porto Alegre mais ou menos 1 vez por mês para me ver.
Então um dia ele veio para mais um findi na cidade.. sempre saíamos para passear, mas não lembro exatamente onde ele me levou, o que fizemos juntos.. só lembro que estranhei um pouco quando ele me deu uma graninha mais gorda do que o habitual. Coisa de piá!

No outro mês, quando ele veio pra Porto Alegre, a gente não saiu pra passear. Ele foi diretamente para o Hospital de Clínicas onde ficou internado até o seu falecimento por câncer. Fui visitá-lo no hospital, mas não lembro das nossas conversas... eu estava meio que em estado de choque.. nunca imaginava que aquilo fosse acontecer.
Pra quem acha mórbido as cartinhas post-mortem, só tenho uma coisa pra dizer: eu gostaria de ter recebido algumas! Gostaria de saber se meu pai teria alguma lição para me passar, alguma dica ou sugestão para eu ser (mais) feliz na minha vida.
Claro que minha mãe cumpriu seu papel. Passou muitos valores e me educou da melhor forma possível, mas gostaria de saber o que meu pai teria a dizer, sabe?!

Sobre o futuro: será que vou conseguir passar valores importantes para minha filha? Será que ela vai usar as palavras por favor, obrigado, com licença? Será que ela vai seguir os pontos listados pelo inglês da reportagem?? Os pontos que eu também concordo?

Bah, vou fazer o possível, mas só o tempo dirá.
.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

.dica de leitura [eu quero!]

Oie gentes!

Seguinte... Preciso de ajuda! O que ler nessas férias?

Alguém pode me ajudar? Vezenquando alguém pode?

Contagem regressiva para as férias que iniciam no próximo dia 23!

Esse ano terei férias mais tranquilas... Aqui por POA mesmo.

Então entre piscina, sofá e corridas no final da tarde queria incluir um livro bacana. Um livro leve é claro! Que combine com o contexto em que estarei inserida [de novo: piscina - sofá - corridinhas]. Nada de teorias de complexidade.

Hein?!

Prometo comentá-lo aqui... Nesta mesa de bar!

[]s - paz e amor pro mundo!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

.eu tenho um plano.

A vida não é um jogo de cartas para que você possa arriscar assim, do nada. Cautela, sutileza (olho vivo, faro fino)... Tem gente que faz "plano estratégico" pra ela. Fazer planos... legal planejar, funciona, as vezes, outras, vale mesmo é o improviso... "A gente vive metade da vida fazendo planos e vive a outra metade improvisando".

Em 2011, planejei 2012... daquele jeito, sem mapa estratégico ou plano de negócio. Planejei até a vinda dos meus para a capital e deu.

As coisas estão acontecendo rápido demais, as pessoas se enfurecendo rápido demais, o mundo girando rápido demais... sem falar na tecnologia! Parei no DVD.

Nota mental para o resto da vida: ficar perto de quem se quer bem, esse é o plano.


 (...) 



Já imaginou um mundo onde as pessoas doam-se sem esperar nada em troca?
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Pois é, eu imaginei...
amar é isso, doar-se, dar-se. Uma via de mão única.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

.tanta coisa pra viver, que nem sei por onde começar.

Feliz 2012, meu povo! Happy New Year!

Meu primeiro post de 2012. Pensei em várias coisas para postar nesta primeira segunda-feira do ano aqui na mesa 1. Coisas que realmente têm importância e que valem à pena pensarmos e refletirmos, principalmente quando o ano inicia e declara que temos 300 e tantos dias para fazermos a diferença.

Você tem sonhado com o quê?
Quais os seus planos para 'chegar lá'?
Sonhe! Experimente! Faça o novo!
Busque a concretização dos seus desejos todos os dias!
Lembre-se: Você é o único responsável pelo seu destino!
Coloque-se sempre em primeiro plano!
Ame o próximo na mesma proporção que se ama!