Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

segunda-feira, 30 de abril de 2012

.atravessa esta paisagem o meu sonho.

Gentee,

A minha amigona Grassi (da mesa 5) esteve em Portugal e me trouxe de presente um livro de poesias - maravilhoso - do Fernando Pessoa. Entre tantas poesias lindas, escolhi esta para dividir com vocês hoje:



Atravessa esta paisagem o meu sonho dum porto infinito
E a cor das flores é transparente de as velas de grandes navios
Que largam do cais arrastando nas águas por sombra
Os vultos ao sol daquelas árvores antigas...

O porto que sonho é sombrio e pálido
E esta paisagem é cheia de sol deste lado...
Mas no meu espírito o sol deste dia é porto sombrio
E os navios que saem do porto são estas árvores ao sol...

Liberto em duplo, abandonei-me da paisagem abaixo...
O vulto do cais é a estrada nítida e calma
Que se levanta e se ergue como um muro,
E os navios passam por dentro dos troncos das árvores
Com uma horizontalidade vertical,
E deixam cair amarras na água pelas folhas uma a uma dentro...

Não sei quem me sonho...
Súbito toda a água do mar do porto é transparente
E vejo no fundo, como uma estampa enorme que lá estivesse desdobrada,
Esta paisagem toda, renque de árvore, estrada a arder em aquele porto,

E a sombra duma nau mais antiga que o porto que passa
Entre o meu sonho do porto e o meu ver esta paisagem
E chega ao pé de mim, e entra por mim dentro,
E passa para o outro lado da minha alma...

.(...).


sábado, 28 de abril de 2012

.de marcha batida.


Neste exato momento (horário da postagem) estou em viagem... Velho Oeste nos espera. A boa e sempre boa família enche festa deixa a capital do estado para percorrer o Rio Grande até a fronteira.


Vou pra Uruguaiana, no fim de semana,
Ver os pirilampos se multiplicando
Um touro berrando na costa do mato do Ibirocaí...


Se eu pudesse, ontem eu já tinha ido
Num vagão de carga, desses que se vai
Matar a saudade de tomar um banho no Rio Uruguai!


Vou saber das novas de Sant'Ana velha
Pescar um dourado no Rio Ibicuí,
Pegar a gutarra e visitar a Barra do Rio Quaraí...


Vou passar a ponte num trote chasqueiro
Eu sou missioneiro não me leve a mal
Embora sestroso vou arrastar o toso na Banda Oriental...


Já arrumei a mala, afiei a tesoura,
Travei as esporas pra não cair,
Levo a mala cheia de quinquilharias que vão me servir!


A chave de arame vou levar comigo,
Velha ferramenta de trabalhador
Ainda tenho cisma do serviço bruto sou alambrador.




"Não queria me exibir, mas eu sou de Uruguaiana."


Té a volta.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

.lítera novamente ;-)

E dae gente?!

Bom... O post de hoje vai para a divulgação do Show da Lítera, amanhã...
A Lítera está tão "de casa" que hoje acabou de ganhar um "marcador" aqui no vzq!

Vamos, Feio? No último show a Carla e o Rafa estiveram presentes ;-) .


Lítera Eletroacústico no Café da Oca

Apresentando as canções do disco "um pouco de cada dia" em versões eletroacústico e divulgando o novo single Domitila.

SERVIÇO:
Lítera no café da Oca - 27/04/2012
Endereço: Rua Joao Telles , 512 | Bom Fim | Porto Alegre | RS
Ingressos: R$ 10 - No local
Horário: 21h
Beleza pura?!
[]s - Daiane.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

.o tempo passou feito fotografia.


Sabe aqueles dias que você está “atrolhado” de trabalho, cheio de coisas para fazer, mérrrmo!! mais de seis prioridades, já pensando na possibilidade de ter que cancelar a viagem do final de semana, ou ainda, querer que alguém lhe diga:

- Hoje e amanhã posso te dar ajudar, se quiseres. 
(Alguém lá em cima, atendeu as minhas preces, gosta de mim, também) - Pode vir, tenho uma prioridade aqui te esperando.

(...)

O trabalho dignifica o homem, que dignifica a vida... que passa por ela trabalhando... sem, muitas vezes, prestar atenção naquilo que julga não ter tanta importância assim. Depois, quando for tarde demais, irá querer voltar o tempo e reclassificar as suas prioridades.

(...)

Volta e meia, venho aqui e falo sobre isso... dar importância aos detalhes, coisa que ainda não aprendi a fazer. E a cada manhã que acordo, lembro do dia anterior e me julgo pelos nãos que disse aos meus filhos que só queriam que eu olhassem para os seus brinquedos que são capazes de voar... para minha filha que cresceu de repente, foi dos dois aos dezesseis anos num piscar de olhos, para minha esposa, que está cada vez mais velha, cada vez mais bela, cada vez mais perto... cada vez mais.

(...)

Já que não morrer é um desejo impossível, quero ao menos poder envelhecer prestando atenção naquilo que não está na relação das “prioridades”.
Nessa, só eu mesmo para me ajudar...

segunda-feira, 23 de abril de 2012

.50 mil acessos.



.e um dia a gente decide que vai ser feliz na companhia de amigos.
.e um dia a gente divide aquilo que tem de melhor na companhia de amigos.
.e um dia a gente percebe que se é mais feliz na companhia de amigos.
.e um dia a gente se dá conta que, mesmo não estando feliz, é melhor estar na companhia de amigos.
.e um dia a gente experiencia que a distância é um mero detalhe quando se tem amigos.
.e um dia a gente descobre um lugar onde reunir todo esse grupo de amigos.
.e um dia a gente percebe que 'vezenquando' é tudo de melhor que a gente poderia ter
 na companhia de amigos.


.a voz do silêncio.



Há momentos...
no calor e rumor da existência
que é preciso parar:
de correr, de falar, de gritar, e ouvir
... ouvir o som do silêncio!

Há momentos...
quando a ansiedade sufoca,
a angústia toma conta e provoca
loucuras no pensamento,
... que se acalmam ao som do silêncio!

Há momentos,,,
diante da exuberante natureza,
e sua multiforme beleza,
que o melhor é sentar-se e aquietar-se,
contemplando o som do silêncio!

Há momentos...
de grande amor e singeleza,
quando palavras atrapalham,
que se preenchem e se completam
com o som do silêncio!

O som do silêncio!
momento de quietude e calmaria.
imagens, cores, melodias ou vozes se abafam.
a plenitude do ser e da consciência se entrelaçam,
aflorando amor, discernimento e sabedoria...

Davi F. Barros

[ recebi do pessoal da domingueira poética
e  não tinha hora mais adequada ]

. .


sábado, 21 de abril de 2012

velha e louca.




Pode falar que eu não ligo,
Agora, amigo,
Eu tô em outra,
Eu tô ficando velha,
Eu tô ficando louca.

Pode avisar qu'eu não vou,
Oh oh oh...
Eu tô na estrada,
Eu nunca sei da hora,
Eu nunca sei de nada.

Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho,
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom.

Pode falar qu'eu nem ligo,
Agora eu sigo
O meu nariz,
Respiro fundo e canto
Mesmo que um tanto rouca.

Pode falar, não importa
O que tenho de torta,
Eu tenho de feliz,
Eu vou cambaleando
De perna bamba e solta.

Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho,
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom.

Nem vem tirar
Meu riso frouxo com algum conselho
Que hoje eu passei batom vermelho,
Eu tenho tido a alegria como dom
Em cada canto eu vejo o lado bom.

My Valentine

Qual mulher não gostaria de ganhar uma música escrita só para ela? E se essa canção, só por coincidência, fosse escrita por um dos principais nomes da música de todos os tempos, tipo Paul McCartney? Yes! Nancy Shevell, a atual mulher do ex-Beattle, é a felizarda que serviu de inspiração para "My Valentine". O clipe da música foi lançado na semana passada e tem participação dos atores Johnny Depp e Natalie Portman.

 

A propósito, essa semana o show é em Floripa.
Data: 25 de abril, quarta-feira
Local: Estádio da Ressacada
Abertura dos portões: 17h30 Início: 21h30

sexta-feira, 20 de abril de 2012

.operação sorriso :-)

Gente! Vocês viram a açao desenvolvida pela ONG Operação sorriso?



Essa ONG financia cirurgias corretivas para crianças que nascem com lábio leporino e agora fez uma parceria com a Contém 1G e lançaram uma linha de batons muito especial.
São apenas três cores, entretanto cada batom vendido vai ajudar a financiar mais cirurgias para mais crianças.

Eles tem uma página no face com mais detalhes, é só clicar aqui.

Em breve vai rolar um vídeo de divulgação do projeto.



.o amor mais bonito.

.
.
.

Um amor físico, fatídico, real, raro e patente. Um amor que nasceu, mas nunca viveu. Um amor que aconteceu, mas não foi ocupado. Daquelas comédias românticas que ninguém tem tempo de rir, pois já começa pelo final. Os amores mais bonitos são aqueles que nunca foram usados.
.
.
.

Gabito Nunes
Saiu daqui.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

.rumos.

.
.
.
"Se a cabeça estiver engaiolada, nem o convite de um pássaro fará o coração voar."
.
.
.


.
.
.
Lindo isso, né?! Me emocionei quando li.
Serve para inúmeros aspectos:
paradigmas que estamos habituados,
pré-conceitos,
amizades, amores...

É de ficar refletindo a respeito!

Saiu daqui.
.
.
.

.emoções eu vivi!


Oiiii,
semaninha intensa essa pra mim! [mas boa, não preocupem-se]. Tive que  tomar algumas decisões importantes aí e tal. Desta forma, compartilho a minha frase da semana com vocês. Frase simples mas que tem me encorajado muito: 





... se chorei ou se sorri
o importante é que emoções eu vivi!

P.S Semana que vem tem show da Lítera. Sexta-feira, no café da Oca  ;-) #ficaadica

quarta-feira, 18 de abril de 2012

.breve carreira futebolística.




“...filho de ex-jogador de futebol profissional, jogar de quarto zagueiro!? Muito obrigado, pai... estão aqui as chuteiras, vou jogar vôlei.”

O Ano era 1987, doze anos de idade... fui fazer teste no Guarani, que treinava no campo do colégio Marista Santana, em Uruguaiana... fui por que todos os meus amigos, que possuíam habilidade, já frequentavam. O que eu lembro é que existiam duas categorias, a mirim, que treinava com o professor Junca e a categoria juvenil que treinava com o professor Batata.

Sempre surgiam prodígios na categoria mirim que acabavam treinando no time do professor Batata, praticamente todos, menos eu e o Sorriso... Sorriso era o apelido de um cara que estava sempre nos treinos batendo palma e sorrindo, tinha problemas mentais. Era um grande sujeito, todos o adoravam e o tratavam com muito respeito. Até cheguei a pensar que ele conseguiria uma vaga no time do treinador Batata...


O campo era tipicamente de várzea, muita terra, muita pedra... quase que nenhuma grama.  

Cheguei em casa depois de uma primeira semana de testes e treinos puxados, já com o resultado de que eu havia passado. Estava dentro do Guarani de Uruguaiana. Quase não cabia em mim de tamanha alegria e felicidade.

- Pai, vou precisar de uma chuteira
- Hum, uma chuteira, é? O guidis(kichute) que te dei não é bom?
- poxa, pai... passei no teste do Guarani, vou ser jogador de futebol, ta no meu sangue.

Nesse instante seus olhos encheram-se de lágrimas, de súbito, pulou do sofá e me levou até as Lojas Frizzo Esportes. Me deu de presente uma chuteira Topper, top na época.


No próximo treino, já de chuteiras novas, meu pai me levou até o campo onde treinávamos, assistiu a primeira meia hora, mas teve que sair... tudo bem, sem problemas, lá estava eu para dar continuidade no caminho que ele havia começado a trilhar.

Assim como todo e qualquer guri, eu queria fazer gol, jogar na frente, driblar o zagueiro e encobrir o goleiro.

O professor Junca pára o treino coletivo, me segura pelo pulso, me leva até a lateral do campo  e diz:

- Tu vais jogar de quarto zagueiro, não pode passar do meio de campo.
- Quarto zagueiro?
- Isso!
- Não posso passar do meio de campo?
-Não!

Putz, perdi o chão, senti as travas da chuteira rasgando o meu sonho... quarto zagueiro? Quer dizer que tem mais um, dois, TRÊS caras antes de mim? PQP!!! Que me tirasse e deixasse no banco de reservas...

"Logo eu..."



(...)


Bueno, era isso!! té segunda........................................................vista =)

terça-feira, 17 de abril de 2012

.seria bom, né.





.
.
.
.se tudo começasse em poesia
e terminasse em música.
.
.
.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

.tempo sem tempo.


Preciso tempo necessito esse tempo
que outros deixam abandonado
porque lhes sobra ou já não sabem
o que fazer com ele

tempo
em branco
em vermelho
em verde
até castanho-escuro
não me importa a cor
cândido tempo
que eu possa abrir
e fechar
como uma porta


tempo para olhar uma árvore um farol
para andar pelo fio do descanso
para pensar que bom hoje não é inverno
para morrer um pouco
e nascer em seguida
e para me dar conta
e para me dar corda
preciso tempo o necessário para
chafurdar umas horas na vida
e para investigar por que estou triste
e acostumar-me ao meu esqueleto antigo


tempo para esconder-me no canto de algum galo
e para reaparecer em um relincho
e para estar em dia
e para estar na noite
tempo sem recato e sem relógio


vale dizer preciso
ou seja necessito
digamos me faz falta
tempo sem tempo

Mario Benedetti




domingo, 15 de abril de 2012

vezenquando - a música

Cumpadi Julio Neto na capital é um abraço!

 Registramos nosso encontro, gravamos três temas de brincadeirinha... um deles é esse aí. VEZENQUANDO, A MÚSICA


Ato falho, interromper uma ligação
Não se desculpe, não implore, não peça perdão
A vida é assim mesmo, Vezenquando perde a razão
Chore em silencio, não é hora de lamentação
Vai passar, vamos rir de tudo isso
Vai passar, vamos rir de tudo
Isso vai passar, vamos rir de tudo
Isso vai passar, vamos rir
O mundo dá voltar, não me pergunte com que precisão
Sinta o desejo, liberte a alma e o coração
A vida é assim mesmo, vezenquando perde a razão
Destrua os seus medos,
Não comemore derrotas, não chore vitórias...
Até logo e tchau.

Navio Pirata (Letra e música: Julio Neto e Milena Lenz)


Eu não devo nada pra você
Não importa o que vai dizer
Eu não quero o que você quer
E vou jogar fora o que me der

Tenho coisas boas pra falar
Histórias engraçadas pra contar
Eu nem quero que acredite em mim
Você está no passado, chegou ao fim.

Pra onde o vento me levar eu vou
O navio pirata te abandonou
Pelos sete mares tesouros vou buscar
Vou guardar aqui, escondido ali.
Num baú no fundo do mar

Não faz mais sentido você e eu
O que tinha pra doer, já doeu.
Então porque insistir comigo
Se nos meus braços já não tens abrigo

Existe um abismo entre nós
Já esqueci teu rosto tua voz
O tempo vai dizer o teu lugar
Mas no meu coração não vai estar.



Continuo Aqui (Letra e música: Marcus de Carvalho e Julio Neto)

Continuo aqui, te querer.
Sem pensar jamais, te perder.
Mesmo sabendo quem é você
Continuo a andar
Talvez seja melhor...
O sol se esconde atrás das nuvens
A chuva canta minha canção
O frio congela os meus pensamentos
Cabe a mim, pensar o que sinto.
Falar o que não sei
Sair desse labirinto
Escutar você
Não quero apenas abraços e carinho...
Quero ser tua vida,
Quero ser teu caminho
Quero ser tua vida,
Quero ser teu caminho

Escalo montanhas pra enxergar
Meu destino em tuas mãos...

sábado, 14 de abril de 2012

Superação

Eu adoro ler histórias de superação (Miss Globo Repórter!).
Esses tempos eu conheci através de um reportagem da Folha, a história do José Reinaldo Lopez.
Diante do sofrimento de uma irmã doente, ele decidiu que queria ser médico. Lavrador em Monte Belo, no sul de Minas, e praticamente analfabeto funcional, ele voltou a estudar, conseguiu deixar de trabalhar na roça de café e já concluiu a faculdade de Enfermagem. Agora, aos 33 anos, é bolsista de Medicina na Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto).



Lopez abandonou a escola com 16 anos, após cursar só até a quinta série. Trabalhou na lavoura de café e se apaixonou pela medicina em um período no qual precisou cuidar da irmã, que estava doente. Conseguiu dinheiro para começar a faculdade escrevendo cartas com pedidos de ajuda. "Um dia pretendo retribuir", diz.

Eu li a entrevista na íntegra na época, mas não consegui localizar ela para mostrar o quanto a fala dele foi emocionante. Esse é um exemplo do que já falamos aqui, que reflete minha opinião, e acho que da Carla também. Nem sempre quem nasce pobre estará condicionado a ser pobre se batalhar, correr atrás e não se deixar levar pelo discurso cômodo de que foi Deus quem quis assim, vou viver de bolsa do governo ou uma simples conformação com o que a vida presente lhe oferece.
Já parou para pensar sobre isso?

sexta-feira, 13 de abril de 2012

.o discípulo.


Quando Narciso morreu, o lago de seu prazer transformou-se de
receptáculo de águas doces em poço de lágrimas salgadas, e as
Oréades vieram chorando pelo bosque cantar para o lago e
dar-lhe conforto.

E quando viram que o lado havia se transformado de poço de
águas doces em poço de lágrimas salgadas, soltaram as tranças
verdes de seus cabelos, choraram pelo lago e disseram:

— Não nos admiramos de que chores desta maneira por Narciso,
tão belo era ele.

— Mas Narciso era belo? - perguntou o lago.

— Quem saberia melhor do que tú? — responderam as Oréades.
— Por nós, ele sempre passava direto, mas tu ele procurava, e
deitava-se às tuas margens e fitava-te, e no espelho de tuas
águas admirava sua própria beleza.

E o lago respondeu:

— Mas eu amava Narciso porque, quando ele se deitava em
minhas margens e olhava para mim, no espelho de seus olhos
eu sempre via minha própria beleza refletida.

(Oscar Wilde)

.lançamento da domitila.

Oi, genteee!
Ontem fomos prestigiar o lançamento da música Domitila, da Lítera Banda. O show estava um arraso e a música é realmente muito linda e empolgante. Fará muito sucesso, temos certeza! No final do show, o vocalista da banda, André Neto, fez alguns agradecimentos às pessoas que ajudaram no processo e divulgação da música. Um desses agradecimentos foi para o VezenquandoPub! Valeu, André! Nós é que agradecemos a oportunidade de divulgar música de qualidade! E agora alguns registros do show...






quinta-feira, 12 de abril de 2012

.Domitila

"Nada mais digo senão que sou teu, e do mesmo modo quer esteja no céu, no inferno ou não sei onde. Tu existes e existirás sempre em minha lembrança, e não passa um momento que meu coração me não doa de saudades tuas...” 

O Imperador

29 de novembro de 1826



Putz... O cara era "o cara mesmo" ;-) .

Tá.. Vamos ao post de hoje!

Hoje é dia de divulgar os amigos da Lítera! Tem show hoje! Nós vamos. Quem mais?

"Abril foi o mês escolhido para o lançamento do novo single da Lítera, que leva o nome de Domitila. Esse foi um mês marcante na vida dessa moça, que viveu o romance mais quente da história do Brasil Império. Domitila foi a principal amante de Dom Pedro I. A história ficou registrada em cartas que foram encontradas muitos anos depois.
A escolha por lançar um single e não um EP veio do desejo de se dedicar integralmente a essa música tão especial, nesse também especial momento da banda. Desde o começo, tudo foi singular: através do Coletivo Catarse (site de colaboração artística), a banda arrecadou entre fãs e amigos o recurso financeiro necessário para uma produção feita no capricho. [Lembra? divulgamos aqui no vzq]. E todo o empenho deu vida à história do cotidiano de muitas mulheres, desde o tempo de Domitila até hoje: encontrar alguém disposto a trilhar a vida lado a lado.
Domitila foi longe, se entregou de verdade, amou mesmo. E a gente também. Chegamos à conclusão que isso dava um samba. Mas fizemos um rock. E podemos dizer que nosso objetivo maior com Domitila foi e é muito menos pretensioso do que criar um grande sucesso: é tocar as pessoas, dando essa história musicada de presente para elas.

O single, que teve seu lançamento prévio para os colaboradores do projeto Domitila no Catarse, será oficialmente lançado no dia 10 de abril pela rádio Ipanema e ficará disponível no site oficial para download.

Gravado e mixado por Marcelo Fruet no Estúdio-12 experiênciasonora, Porto Alegre -RSMasterizado por Dave Locke @ JP Masters, na Carolina do Norte (EUA)Assistente de gravação: Guilherme Wallau Produzido por Marcelo FruetVoz: André Neto | Guitarra: Thiago Marques e André Neto | Bateria: Rodrigo Bonjour | Baixo: Lucas Kanan | Hammond, Rhodes e sintetizadores: Marcelo Fruet | Backing Vocals: Lítera + Marcelo Fruet + Guilherme Wallau."

Show de Lançamento do single Domitila: 
Dia 12/04 quinta feira
Local: Bongo BarRua João Alfredo, 471Abertura: The Tape DisasterValor: 15,00
Hora: 22h30min 
Líterawww.litera.mus.br  

quarta-feira, 11 de abril de 2012

.é o que sinto.


Passamos a vida inteira buscando aquilo que não possuímos. O que temos ou o que adquirimos, nunca é o suficiente. Sempre queremos mais e mais. Achamos que os outros são os iluminados... a imagem refletida no espelho, não reflete nossa luz.

É preciso olhar para dentro de si... putz, que papinho... mas é a real, pode crer. O mundo da voltas, a linha de chegada é a mesma linha de partida, o que difere uma da outra é a hora em que se começa a correr.

(...)

Segunda feira a tarde “peguei” um taxi...  já na entrada, o taxista muito simpático começou a falar, dizendo que havia acabado de levar um passageiro até o aeroporto... conversa vai, conversa vem, ele me disse que muitas vezes ele acaba conhecendo mais da vida, personalidade e características de um passageiro do que do próprio vizinho... que o cara que passa alguns minutos batendo papo com ele é capaz de se mostrar muito mais, e ensinar muito mais do que alguém com quem ele se relaciona há anos.

(...)

Já disse aqui uma vez que eu sou um cara extremamente grosseiro, bronco, seco, áspero, rude... sei disso, reconheço os meus defeitos e os seus efeitos. Mas no geral, nas qualidades que não sei que tenho (se é que tenho), sou um cara bacana... com uma “bacanisse” capaz de superar as minhas grossuras... basta agir comigo de maneira diferente que eu ajo contigo. Seja gentil, será recíproco.

(...)

Nesta vida de meu Deus, nem sempre fazemos as escolhas certas, é preciso errar para saber que não foi uma boa escolha, parece óbvio, né? Pois não é óbvio, é triste.

(...)

“Se eu soubesse antes o que sei agora, erraria tudo exatamente igual”. Desde que tu estejas comigo.

terça-feira, 10 de abril de 2012

.páscoa romântica.


Alta produção do cara que aproveitou as brincadeiras de Páscoa para surpreender a namorada.
Se puxou!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

.pequenos momentos mudam grandes rotas.


E um dia a gente encontra com alguém que muda a nossa vida para sempre, por completo. Tudo a partir daí passa a ser diferente, passa a ter um novo sentido. Não importa quem for [ um amigo, um amor, um professor, um poeta... ], o que importa é que há encontros que reescrevem a nossa história, mudam a nossa direção, modificam caminhos. Há encontros que revelam coisas nossas que nem nós sabíamos. Gostos são revelados. Novas imagens, novos sons, novos ritmos. Passamos a ver o mundo com outros olhos, a observar a vida de uma outra perspectiva.


Uma nova pessoa em nossa vida é um novo ponto de partida.




Cruzamos diariamente por centenas e centenas de pessoas que consideramos insignificantes, mas talvez uma delas, se não tivéssemos simplesmente cruzado e sim encontrado, passasse a ter uma significância enorme em nossa vida. Talvez naquela pessoa, justo nela, encontrássemos o significado de muita coisa.

O filme Medianeras - Buenos Aires na era do amor virtual nos conta a história de Martin, Mariana e seus desencontros. Eles vivem na mesma cidade, na mesma quadra, em apartamentos um de frente para o outro, mas nunca conseguem se encontrar. Só conseguem se relacionar via internet. Se conhecem online, mas na vida offline se cruzam sem saber da existência um do outro.

O filme representa bem as relações humanas atuais, os medos, as fobias, a falta de confiança no próximo e nos leva a refletir sobre amor/modernidade/sociedade e, também, sobre as oportunidades que perdemos, muitas vezes, por deixarmos passar por nós pessoas que fariam toda a diferença, que reescreveriam a nossa história.

Assista o filme aqui:

domingo, 8 de abril de 2012

.tombStones jack flash.







Saudade



É mais do que sentir falta. É mais do que ter na memória. É mais do que ausência. É mais do que distância. Saudade é uma palavra que consegue reunir um conflito tão grande que é impossível explicar. Às vezes é gostoso de sentir, às vezes dói tanto que a gente chora. As vezes a gente se acostuma, às vezes não. Mas matar a saudade de quem a gente ama é SEMPRE uma das melhores coisas da vida.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

.o peixe de cada dia.



Interpretação:Victor Hugo; Letra e Música: Adão Quevedo; 25.° Reponte da Canção - São Lourenço do Sul/RS - Março/2009

.vou encontrar.


"Páscoa, pessach ou passagem, esse é um momento de transição, a ressureição, a vida nova que muitos buscam e não sabem por onde começar, quem sabe nessa páscoa encontrem o que procuram."
 
Luis Alves
.
.
Eu estou em um momento bem propício para mudanças. Algumas por vontade própria, outras por força maior. Tomara que eu consiga encontrar força e o 'algo mais' que está faltando para iniciar uma nova fase em minha vida!
.
.

.deixa eu me perder.

.
.
.


.tudo que eu segui
viaja atrás de mim
coisas, quando vêm
são coisas que se vão
sem eu perceber.


.
.
.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

. ...



Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião. Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Drummond de Andrade

quarta-feira, 4 de abril de 2012

.raso demais.



O legal de escrever em um blog, além de poder expressar, não necessariamente o que se sente, é se aproximar de quem lê. Descobrir que o leitor acredita que tudo aquilo que você escreve é o que realmente tem importância para você.
Mas a grande verdade é que nem tudo aquilo que está escrito, é o que devemos de fato crer. O papel aceita tudo... amores, rancores, ódio, preguiça, felicidade, tristeza, verdade e mentira ... o papel aceita o instante, o passado e os planos para o futuro. O provável e o improvável.

(...)

Queria ter o poder de conseguir entrar nas pessoas, de ver e sentir o mundo através delas. Será que alguém sente o vento como eu sinto? E a fantástica combinação de chocolate com coca cola?

(...)

Fazendo um tour por postagens antigas, minhas, me deparo com um cara um tanto quanto - (estranho) - não sei dizer exatamente, mas às vezes profundo demais, raso demais e/ou burro demais. A interpretação de um texto faz sentido com aquilo que se quer, com aquilo que se sente no momento da leitura... interpretação é estado de espírito.

(...)

“Quem quiser remar contra a maré / tem que remar muito mais forte / não vá a guerra de pés descalços / não pise no tapete com essas botas imundas.” (hg)



.tudo aos poucos.


Nos ombros sorvem-se respostas
Pra quem perdeu tudo aos poucos
Que após várias voltas ao mundo,
Crendo ter encontrado o que buscava,
No maior dos abismos profundos,
Voltou a casa e a expôs para si.
Em admiração até vê-la partida
No sangue da ferida em sua mão.

A mão direita vai a guerra.
A mão esquerda ainda aberta.
Alto preço,papel e pena.
Fé despedaçada,Jóia falsa,
Descoberta errada,sem ofensa
...de volta a cruzada!

O poema acima é de autoria de Marcos da Costa, cantor, compositor e meu amigo...


Gracias, ermão!!

terça-feira, 3 de abril de 2012

.Victor Hugo.

.
.
.
E hoje sobe ao palco do VezenquandoPub o nosso vezenquandista vip: 
Viptor!
.
.
.

.
.
.
Letra - Sergio Napp
Música - Cesar Dorfman
Teclado - Carlos Garofali
Banoneon - Carlito Magallanes
.
.
.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

.o olhar alheio é mais cruel que a decadência das formas.


Olá, povo! :)

Ontem recebi uma crônica da 'Domingueira Poética' (um grupo que faço parte) e fiquei refletindo sobre a profundidade dessa frase do título do post, que nos fala de preconceito, de envelhecer, mas acima de tudo nos lembra a possibilidade de tentar de novo, de se permitir, de ser feliz.



Na crônica 'Um tempo sem nome', Rosiska fala sobre o namoro do Chico Buarque com a cantora Thaís Gulin:


Com seu cabelo cinza, rugas novas e os mesmos olhos verdes, cantando madrigais para a moça do cabelo cor de abóbora, Chico Buarque de Holanda vai bater de frente com as patrulhas do senso comum. Elas torcem o nariz para mais essa audácia do trovador. O casal cinza e cor de abóbora segue seu caminho e tomara que ele continue cantando “eu sou tão feliz com ela” sem encontrar resposta ao “que será que dá dentro da gente que não devia”.
Afinal, é o olhar estrangeiro que nos faz estrangeiros a nós mesmos e cria os interditos que balizam o que supostamente é ou deixa de ser adequado a uma faixa etária. O olhar alheio é mais cruel que a decadência das formas. É ele que mina a autoimagem, que nos constitui como velhos, desconhece e, de certa forma, proíbe a verdade de um corpo sujeito à impiedade dos anos sem que envelheça o alumbramento diante da vida.
[ ... ]
"Meu tempo é curto e o tempo dela sobra”, lamenta-se o trovador, que não ignora a traição que nosso corpo nos reserva. Nosso melhor amigo, que conhecemos melhor que nossa própria alma, companheiro dos maiores prazeres, um dia nos trairá, adverte o imperador Adriano em suas memórias escritas por Marguerite Yourcenar.
Todos os corpos são traidores. Essa traição, incontornável, que não é segredo para ninguém, não justifica transformar nossos dias em sala de espera, espectadores conformados e passivos da degradação das células e dos projetos de futuro, aguardando o dia da traição. 
Chico, à beira dos setenta anos, criando com brilho, ora literatura, ora música, cantando um novo amor, é a quintessência desse fenômeno, um tempo da vida que não se parece em nada com o que um dia se chamou de velhice. Esse tempo ainda não encontrou seu nome. Por enquanto podemos chamá-lo apenas de vida."


[ leia a crônica na íntegra aqui ]

Além de ensinamentos sobre a vida, a nova fase do Chico nos brindou com essa preciosidade chamada 'Essa pequena'... 





Meu tempo é curto, o tempo dela sobra
Meu cabelo é cinza, o dela é cor de abóbora
Temo que não dure muito a nossa novela, mas
Eu sou tão feliz com ela

Meu dia voa e ela não acorda
Vou até a esquina, ela quer ir para a Flórida
Acho que nem sei direito o que é que ela fala, mas
Não canso de contemplá-la

Feito avarento, conto os meus minutos
Cada segundo que se esvai
Cuidando dela, que anda noutro mundo
Ela que esbanja suas horas ao vento, ai

Às vezes ela pinta a boca e sai
Fique à vontade, eu digo, take your time
Sinto que ainda vou penar com essa pequena, mas
O blues já valeu a pena


Boa semana, povo! 
Como cantou o Lulu, 'vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitiiiirrrrrr'! ;)