Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

quinta-feira, 31 de maio de 2012

cigarro não combina com a saúde do planeta, nem com a sua.










Clique aqui e faça o teste de quanto você fuma e veja o passo a passo para deixar de fumar! 

.( ) certo / ( ) errado / ( ) ???

Hoje fiz faxina aqui em casa!
Aff... Detesto. Mesmo, de verdade! Mas sei da importância.

Tá, tá, tá... Pior seria não ter uma casa pra limpar!

Mas pq estou fazendo este desabafo? Esses dias veio uma "turma" (preservarei as identidades) aqui em casa. E o assunto era "Nossa, como a fulana é caprichosa! A cada dela é um brinco!"... "Nossa, já a casa da beltrana, que teve bebê agora  é um horror! Uma bagunça.. Entre outras coisas, Os móveis todos roídos pelos cachorros, blablabla...".

Aquilo me incomodou tanto. E isso que eu não conheço a fulana, tão pouco a beltrana!

Na hora disse assim: bom, a vida é feita de escolhas e prioridades. Talvez a prioridade da beltrana não seja ter móveis novos agora... E sim ter filhos, cachorros, casa bagunçada mesmo. Já para a fulana é ter sua casa limpa e estar sozinha.

Quem está certa?


Quem é mais feliz?

Hoje pela manhã lembrei da história... Lembrei também que isso poderia dar um post, complementado é claro, pelo que a Martinha (Medeiros!) escreveu sobre isso esses tempos aí:

"Existe o certo, o errado e todo o resto". Esta é uma frase dita pelo ator Daniel Oliveira vivendo Cazuza, em conversa com o pai, numa cena que, a meu ver, resume o espírito do filme ...
Certo e errado são convenções que se confirmam com meia dúzia de atitudes. Certo é ser gentil, respeitar os mais velhos, seguir uma dieta balanceada, dormir oito horas por dia, lembrar-se dos aniversários, trabalhar, estudar, casar-se e ter filhos, certo é morrer bem velho e com o dever cumprido. Errado é dar calote, rodar de ano, beber demais, fumar, se drogar, não programar um futuro decente, dar saltos sem rede. Todo mundo de acordo?
Todo mundo teoricamente de acordo, porém a vida não é feita de teorias. E o resto? E tudo aquilo que a gente mal consegue verbalizar, de tão intenso? Desejos, impulsos, fantasias, emoções. Ora, meia dúzia de normas preestabelecidas não dão conta do recado. Impossível enquadrar o que lateja, o que arde, o que grita dentro de nós.
Somos maduros e ao mesmo tempo infantis, por trás do nosso autocontrole há um desespero infernal. Possuímos uma criatividade insuspeita: inventamos músicas, amores e problemas, e somos curiosos, queremos espiar pelo buraco da fechadura do mundo para descobrir o que não nos contaram. Todo o resto.
O amor é certo, o ódio é errado e o resto é uma montanha de outros sentimentos, uma solidão gigantesca, muita confusão, desassossego, saudades cortantes, necessidade de afeto e urgências sexuais que não se adaptam às regras do bom comportamento. Há bilhetes guardados no fundo das gavetas que contariam outra versão da nossa história, caso viessem a público.
Todo o resto é o que nos assombra: as escolhas não feitas, os beijos não dados, as decisões não tomadas, os mandamentos a que não obedecemos, ou a que obedecemos bem demais - a troco de que fomos tão bonzinhos?
Há o certo, o errado e aquilo que nos dá medo, que nos atrai, que nos sufoca, que nos entorpece. O certo é ser magro, bonito, rico e educado, o errado é ser gordo, feio, pobre e analfabeto, e o resto nada tem a ver com estes reducionismos: é nossa fome por idéias novas, é nosso rosto que se transforma com o tempo, são nossas cicatrizes de estimação, nossos erros e desilusões.
Todo o resto é muito mais vasto. É nossa porra-louquice, nossa ausência de certezas, nossos silêncios inquisidores, a pureza e a inocência que se mantêm vivas dentro de nós mas que ninguém percebe, só porque crescemos. A maturidade é um álibi frágil. Seguimos com uma alma de criança que finge saber direitinho tudo o que deve ser feito, mas que no fundo entende muito pouco sobre as engrenagens do mundo. Todo o resto é tudo que ninguém aplaude e ninguém vaia, porque ninguém vê.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

.sem a senha sem acesso.

Senha... quem não tiver uma, que atire a primeira pedra.

Levei meu notebook para um colega meu dar uma olhada, estava lento demais e com o anti vírus desatualizado... cheguei na sala da T.I e expliquei o que estava ocorrendo e tal, ele disse que daria uma analisada e que qualquer coisa entraria em contato. Perfeito! Uma averiguada no “micro” na boa, na fé, no coleguismo... na amizade. 

Pouco tempo depois meu ramal toca, era o cara pedindo a senha para acessar a máquina. Putz! Fiquei em silêncio por alguns segundos... mais uma vez, insistentemente, ele diz – Preciso da senha, Marcus.
Ok, “muita hora nessa calma”, “palma palma não priemos cranicos”, mais de mil bobagens passaram pela minha cabeça, sem contar as incontáveis frases feitas... até que soltei um sonoro e aveludado:

- Te amo
- Como?
- Te amo, simples assim!

Mais silêncio... longos e intermináveis segundos de claustrofóbico silêncio. Confesso que me preocupei e muito. Já pensou ter que ouvir: - Marcus, eu também, mas não sabia como te dizer, não tinha coragem de tomar a iniciativa e agora que tu te expos e abriu o teu coração para mim... eu também te amo!  


- PARA!!! PÁRA TUDO!! Antes que tu penses qualquer absurdo eu explico! Login: nós / Senha: teamo.


- Ufa! Que alivio!

(...)

Não existe, no mundo, alguém que não necessite de login e senha. Até meus dois filhos menores precisam para acessar o link restrito do sítio da escola. Banco, e-mail, sistemas, smartphones, redes sociais, blogs... esta semana fui ao médico, para tratar da eterna dor nas costas, já na entrada do prédio cadastrei uma senha para ter acesso ao andar do consultório do cara.

Fui fazer os exames laboratoriais, na saída me deram uma “chavesenha” para que eu possa acessar os resultados diretamente no site. Senhas, senhas, Senhas, senhas, senhas para tudo, pára tudo! Sou do tempo em que as únicas senhas que eu precisava era para poder “mostrar” pro meu parceiro as cartas que tinha na mão, no jogo de truco:

Piscar o olho direito - significa Espadão
Piscar o olho esquerdo - significa Bastião;
Um leve sorriso para a direita - significa manilha de Espada;
Um leve sorriso para a esquerda - significa manilha de Ouro;
Morder o lábio - significa que se tem um 3 de naipe qualquer;
Apertar os lábios - significa que se tem um 2 de naipe qualquer;
Encher as bochechas - significa que se tem um Güembe (gueme);
Levantar as sobrancelhas - significa que se tem pontos de Envido;
Fechar os dois olhos - significa que além de não ter pontos, não tem nenhuma carta boa.

(...)

Vai chegar o dia em que o virtual será real e vise versa... quando esse dia chegar vou poder, quem sabe, ter instalado na alma aquele chip de memórias de vidas passadas... renascerei e continuarei a viver a mesma vida... gosto dela, assim, do jeito que é. Querer viver a mesma vida depois que ela termina é como querer continuar a rir da piada que perdeu a graça...  ha-ha

(...)

Eu sei, eu sei, a virtualidade é real, com pessoas reais... que muitas vezes fingem ser o que não são e/ou não deixam transparecer  o que são realmente. Mas isso já é outro papo.

(...)

Bueno, com licença, preciso fazer logoff 

segunda-feira, 28 de maio de 2012

.administrar o tempo é planejar a vida.



O texto é longo, eu sei, mas o assunto é muito valioso. O tempo que você dedicar lendo este texto, tenho certeza que não será perdido. Ele faz parte de um livro chamado Administração do TempoAdministrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar escravo do relógio. Um dia perdido hoje (perdido no sentido de que não realizei nele o que precisaria ou desejaria realizar) não é recuperado depois: é perdido para sempre. ;)


1) Administrar o tempo não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade: é uma questão de saber definir prioridades. Provavelmente (numa sociedade complexa como a nossa), NUNCA vamos ter tempo para fazer tudo o que precisamos e desejamos fazer. Saber administrar o tempo é ter clareza cristalina sobre o que, para nós, é mais prioritário, dentre as várias coisas que precisamos e desejamos fazer - e tomar providências para que essas coisas mais prioritárias sejam feitas, sabendo que as outras provavelmente nunca vão ser feitas (mas tudo bem: elas não são prioritárias).

2) Dentre as coisas que vamos listar como prioritárias, algumas estarão ali porque nos são importantes, outras porque são urgentes. Imagino que algo que não é NEM importante NEM urgente não estará na lista de ninguém. E também sei que na lista de todo mundo haverá coisas que são IMPORTANTES E URGENTES. Não resta a menor dúvida de que estas coisas devem ser feitas imediatamente, ou, pelo menos, na primeira oportunidade. Poucas pessoas questionarão isso. O problema surge com coisas que consideramos importantes, mas não urgentes, e com coisas que são urgentes, mas às quais não damos muita importância.

3) Digamos que você considere importante ficar mais tempo com sua família. Por outro lado, você tem que trabalhar x horas por dia. Se o seu trabalho é mais importante do que ficar com a sua família, o problema está resolvido: você trabalha, mesmo que isso prejudique a convivência familiar. Mas e se o trabalho não é mais importante para você do que a convivência familiar? Neste caso, provavelmente o trabalho é urgente, no sentido de que tem que ser feito, pois de outra forma você vai ser despedido (ou perder clientes, se for autônomo ou empresário) e vai ter dificuldades para manter sua família (embora, sem trabalho, provavelmente vai poder passar mais tempo com ela…). Aqui o conflito é entre o importante e o urgente - e é aí que a maior parte de nós se perde, e por uma razão muito simples: algumas das tarefas que temos que realizar não são selecionadas por nós, mas nos são impostas. Isto é: não somos donos de todo o nosso tempo. Não temos, em relação ao nosso tempo, toda a autonomia que gostaríamos de ter. Quando aceitamos um emprego, estamos, na realidade, nos comprometendo a ceder a outrem o nosso tempo (e, também, o nosso esforço, a nossa capacidade, o nosso conhecimento, etc.). Este é um problema real e de solução difícil: não somos donos de boa parte de nosso tempo.

4) Acontece, porém, que geralmente usamos mal o tempo que dedicamos ao trabalho (e, por isso, temos que fazer hora extra ou trazemos trabalho para casa), ou mesmo o tempo que passamos em casa. Usar mal QUER DIZER que muitas vezes usamos o nosso tempo para fazer o que não é nem importante nem urgente, mas apenas algo que sempre fizemos, pela força do hábito. Alguém me disse, quando eu era criança, que a gente nunca deveria abandonar a leitura de um livro, por pior que ele fosse. Que bobagem! Mas quanto tempo desperdicei terminando de ler coisa que de nada me serviu por causa desse conselho! Uma vez me peguei dizendo à minha família que não poderia fazer algo (não me lembro o quê) domingo de manhã porque precisava ler os jornais. Eu lia, religiosamente, a Folha e o Estado aos domingos de manhã (sinto muito, folks: há tempo que não frequento escola dominical). Lia por hábito. Achava que um professor tem que se manter informado. Mas quando disse que "precisava" ler os jornais me dei conta de que realmente não precisava lê-los. O que é de pior que poderia me acontecer se eu não lesse os jornais, me perguntei. NADA, foi a resposta que tive honestamente que dar. Se houver algo importante nos jornais provavelmente fico sabendo no noticiário da TV, ou na VEJA. Mas daí me perguntei: e preciso ler a VEJA todas as semanas? Resposta: não. Existe algo que eu prefiro ler/fazer naquelas manhãs de domingo que ganhei? Claro, muitas coisas - PARA AS QUAIS EU ANTES NÃO TINHA TEMPO. Ganhei as horas dos jornais, ganhei as horas da VEJA, fui ganhando uma horinha aqui outra ali, para as coisas que eu realmente queria fazer há muito tempo e não achava tempo…

5) Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar escravo do relógio. É uma batalha constante, que tem que ser ganha todo dia. Se você quer ter a autonomia de decidir passar mais tempo com a família, ou sem fazer nada, você tem que ganhar esse tempo deixando de fazer outras coisas que são menos importantes para você. Em última instância pode ser que você até tenha que, eventualmente, arrumar um outro emprego ou uma outra ocupação.

6) O tempo é distribuído entre as pessoas de forma bem mais democrática que muitos dos outros recursos de que nós dependemos (como, por exemplo, a inteligência). Todos os dias cada um de nós recebe exatamente 24 horas (a menos que seja o último dia de nossas vidas): nem mais, nem menos. Rico não recebe mais do que pobre, professor universitário não recebe mais do que analfabeto, executivo não recebe mais do que operário. Entretanto, apesar desse igualitarismo, uns conseguem realizar uma grande quantidade de coisas num dia - outros, ao final do dia, têm o sentimento de que o dia acabou e não fizeram nada. A diferença é que os primeiros percebem que o tempo, apesar de democraticamente distribuído, é um recurso altamente perecível. Um dia perdido hoje (perdido no sentido de que não realizei nele o que precisaria ou desejaria realizar) não é recuperado depois: é perdido para sempre.

7) Há os que afirmam, hoje, que o recurso mais escasso na nossa sociedade não é dinheiro, não são matérias primas, não é energia, não é nem mesmo inteligência: é tempo. Mas tempo se ganha, ou se faz, deixando de fazer coisas que não são nem importantes nem urgentes e sabendo priorizar aquelas que são importantes e/ou urgentes.

8) Quem tem tempo não é quem não faz nada: é quem consegue administrar o tempo que tem de modo a poder fazer aquilo que quer.

9) Por outro lado, ser produtivo não é equivalente a estar ocupado. Há muitas pessoas que estão o tempo todo ocupadas exatamente porque são improdutivas - não sabem onde concentrar seus esforços e, por isso, ciscam aqui, ciscam ali, mas nunca produzem nada. Ser produtivo é, em primeiro lugar, saber administrar o tempo, ter sentido de direção, saber aonde se vai.

10) Administrar o tempo, em última instância, é planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos, em primeiro lugar, saber aonde queremos chegar (definição de objetivos). Onde quero estar, o que quero ser, daqui a 5, 10, 25, 50 anos? O segundo passo é começar a estrategiar: transformar objetivos em metas (com prazos e quantificações) e decidir, em linhas gerais, como as metas serão alcançadas. O terceiro passo é criar planos táticos: explorar as alternativas específicas disponíveis para se chegar aonde queremos chegar, escolher fontes de financiamento (emprego, em geral, é fonte de financiamento), etc. Em quarto lugar, fazer o que tem que ser feito. Durante todo o processo, precisamos estar constantemente avaliando os meios que estamos usando, para verificar se estão nos levando mais perto de onde queremos vamos querer estar ao final do processo. Se não, troquemos de meios (procuremos outro emprego, por exemplo).

11) Mas tudo começa com uma verdade tão simples que parece uma platitude: se você não sabe aonde quer chegar, provavelmente nunca vai chegar lá - por mais tempo que tenha.

12) Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual tenhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos. Basta um pouco de esforço e determinação.

domingo, 27 de maio de 2012

Ai, que vadia!

Esse video foi produzido pela organização da Marcha das Vadias, do Distrito Federal. É muito interessante ver e até mesmo se identificar em questionamentos comuns no dia a dia que mostram o preconceito subjetivo que existe nos nossos diálogos.

sábado, 26 de maio de 2012

Veranico, não se vá!


Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

(Sophia de Mello Breyner Andresen)

quinta-feira, 24 de maio de 2012

quarta-feira, 23 de maio de 2012

.Espantalho.

O ESPANTO
(Silvio Genro)

Braços abertos em cruz, que nem um Cristo Jesus perdoando nossos pecados...
O espantalho se parece com gente que o mundo esquece, nalgum rincão do passado.
Qual fantasma na lavoura sua estampa assustadora espanta os passarinhos!
No espaço vazio dos braços há um gesto inútil de abraço, de alguém que ficou sozinho.
Esboço de ser humano, é um monumento profano, abençoando a plantação...
O espantalho coitado, lembra alguém crucificado em sua própria solidão.
Na fúria dos temporais, quando o mar dos milharais ganha brilho e movimento,
Qual maestro maltrapilho, ele rege os pés de milho com a batuta dos ventos!
A quem o espantalho assusta com a sua fama injusta de feiticeiro pagão?
A quem o espantalho engana qual triste figura humana com palha no coração?
Solitário nas planuras, o espantalho em noite escura namora estrelas distantes...
Esquecido por momentos que lhe falta sentimentos para tê-las como amantes.
E quantas vezes a lua, desejosa de ser sua veio aninhar-se em seus braços?
E ele, incapaz de um carinho, viu-a seguir seu caminho sem poder seguir-lhe os passos.
Como será não ser nada, feito uma estátua plantada sem poder rir nem chorar?
Que pesadelos medonhos, substituem os sonhos dos que não sabem sonhar?
Vida afora, velho amigo, eu comparei-me contigo em momentos de amargura...
Sem a paz que tens nos campos e nem a luz de pirilampos para enfeitar-me a figura.
A quem o espantalho espanta com silêncios na garganta e dois botões cegos no olhar?
A quem o espantalho mente quando se finge de gente tentando nos assustar?



terça-feira, 22 de maio de 2012

.e eu que não sei voar.


Governo zera IPI de carro 1.0, reduz IOF do crédito e dá mais prazo para financiar

domingo, 20 de maio de 2012

Surpresaaa!

Histórias de militares que voltam para casa depois de meses são sempre comoventes. Mas essa nova história tem um quê especial. Quando o homem do vídeo abaixo partiu em serviço militar, seu filho de 6 anos não podia andar sozinho, pois tem paralisia cerebral. Os médicos sempre disseram que o menino nunca seria capaz de se locomover. Mas, enquanto o pai estava fora, Michael aprendeu a andar. A novidade, porém, foi mantida em segredo até que o pai voltasse.
Chore agora, ou melhor, assista a emoção do homem ao ver o filho andar pela primeira vez.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

.egoísmo é não dispensar as coisas pelo medo de que alguém possa aproveitá-las melhor.


.bichanos.


Me diverti muito com os foguetórios dos gremistas na quinta passada, quando o colorado perdeu para o Fluminense... lamentei pelo meu time, lógico, mas consegui ter certezas sobre algumas questões. Estou para afirmar que 75% dos meus vizinhos são gremistas, os outros 25% são gatos(felinos). O bairro Floresta é o Quartel General dos bichanos em geral, entre gatos e gremistas.

Em um terreno, ao lado do prédio onde moro, moram exatamente dezoito gatos... no apartamento debaixo, mais três, na rua mais uns sete. Contando apenas os que são cuidadosamente alimentados por um cara muito estranho da única família muito estranha que mora no prédio há anos.
De casa até a escola da gurizada são três quarteirões, contei vinte sete gatos durante o percurso... putz, era só o que faltava na minha vida, começar a contar gatos.

(...)

Cheguei nos 75% de gremistas dominando o Floresta domingo a tarde quando o Internacional conquistou mais uma vez o Campeonato Gaúcho... não escutei barulho algum, nem uma bomba, nem um grito se quer, nem de gremistas, nem de colorados... - do lado colorado (eu e meus dois filhos) até entendo a falta de foguetórios, somos acostumados a festejar títulos internacionais -  já do lado gremista, Bueno, deixa assim, melhor nem comentar...

(...)

Não tenho problemas com o gato, no singular, o problema está no plural.

(...)

Gremistas... sou casado com uma e pai de outra.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

.o mundo não é maternal.

[ Não é necessário acrescentar nada. A Martha diz tudo. ]

É bom ter mãe quando se é criança, e também é bom quando se é adulto. Quando se é adolescente pensa que viveria melhor sem ela, mas é erro de cálculo. Mãe é bom em qualquer idade.
Sem ela, ficamos órfãos de tudo, já que o mundo lá fora não é nem um pouco maternal conosco.

O mundo não se importa se estamos desagasalhados e passando fome. Não liga se virarmos a noite na rua, não dá a mínima se estamos acompanhados por maus elementos. O mundo quer defender o seu, não o nosso. O mundo quer que a gente fique horas no telefone, torrando dinheiro. Quer que a gente case logo e compre um apartamento que vai nos deixar endividado por 20 anos. O mundo quer que a gente ande na moda, que a gente troque de carro, que a gente tenha boa aparência, e estoure o cartão de crédito.

Mãe também quer que a gente tenha boa aparência, mas está mais preocupada com o nosso banho, com os nossos dentes e nossos ouvidos, com a nossa limpeza interna: não quer que a gente se drogue, que a gente fume, que a gente beba.

O mundo nos olha superficialmente. Não consegue enxergar através.
Não detecta nossa tristeza, nosso queixo que treme, nosso abatimento.
O mundo quer que sejamos lindos, sarados e vitoriosos, para enfeitar ele próprio, como se fôssemos objetos de decoração do planeta.

O mundo não tira nossa febre, não penteia nosso cabelo, não oferece um pedaço de bolo feito em casa. O mundo quer nosso voto mas não quer atender nossas necessidades. O mundo, quando não concorda com a gente, nos pune, nos rotula, nos exclui. O mundo não tem doçura, não tem paciência, não pára para nos ouvir. O mundo pergunta quantos eletrodomésticos temos em casa e qual é o nosso grau de instrução, mas não sabe nada dos nossos medos de infância, das nossas notas no colégio, de como foi duro arranjar o primeiro emprego. Para o mundo, quem menos corre, voa. Quem não se comunica se trumbica. Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
O mundo não quer saber de indivíduos, e sim de slogans e estatísticas…

Mãe é de outro mundo. É emocionalmente incorreta: exclusivista, parcial, metida, brigona, insistente, dramática, chega a ser até corruptível se oferecermos em troca alguma atenção. Mãe sofre no lugar da gente, se preocupa com detalhes e tenta adivinhar todas as nossas vontades.

Enquanto que o mundo propriamente dito exige eficiência máxima, seleciona os mais bem dotados e cobra caro pelo seu tempo. Mãe é de graça!

Martha Medeiros

domingo, 13 de maio de 2012

Manual dos filhos no Dia das Mães




  Uma vez por ano, a gente comemora mais do que em qualquer outra data a existência da pessoa que mais merece celebrações. Então, nós, boas filhas que somos, vamos fazer tudo direitinho pra que esse dia seja amor pura pras mamães.

1. O almoço é seu.
Há duas opções: levar sua mãe pra almoçar fora ou preparar um almoço gostoso em casa mesmo. Nos dois casos, pagar a conta ou preparar a comida, a responsabilidade é dos filhotes, né não?

2. A louça é sua.
Ah, vai almoçar em casa mesmo? Pois, hoje, não vale aquela regra que diz "quem cozinha não lava", os filhos cozinham e lavam (que tem irmãos pra dividir a tarefa tá na vantagem).

3. Respeite a regra de abraço.
A tradicional regra do abraço para o Dia das Mães diz, com todas as letras, que não há teto para o número de abraços dados pelos filhos nesse dia, mas há um piso. Tem que dar pelo menos um abracinho na madrecita, senão tá desclassificado.

4. Presente bom é presente do coração.
Alguns presentes te deixam no cheque especial, mas isso não faz deles mais valiosos que os outros. Muitos dos presentes mais valiosos nem tão à venda. ;)

5. Ainda não acabou
A regra de ouro do Dia das mães é que ele não acaba quando o ponteiro do relógio chega à meia-noite. Ele nunca acaba, na verdade. Todo dia merece pelo menos um minuto de "putz, como eu sou feliz por ter minha mãe!". Se disser isso a ela, então, melhor ainda. :D

Eu li aqui: http://bit.ly/LEGzVd

sábado, 12 de maio de 2012

Das coisas que entendemos



Você não ligou quando eu disse para ter cuidado
E tinha razão você precisa ser livre



Em breve por aqui
Quando: 19/05
Local: Teatro Governador Pedro Ivo


Horário: 21h.

Ingresso: R$ 60 inteira e R$ 30 meia-entrada.

Pontos de Venda: No local e site Blueticket. 

sexta-feira, 11 de maio de 2012

.nas entrelinhas do horizonte.


"A gente faz as contas, projeta uma vida na outra, tenta se enxergar como se fosse outra pessoa... a gente busca espelhos por que viver é solitário. Busca simetrias porque a vida é torta. A simetria acalma. Talvez acalme por que nós mesmos somos simétricos. Uma linha imaginária, dos pés à cabeça, nos divide em duas partes iguais. Buscamos o que já somos? Será? Esquecemos que esta simetria nunca é perfeita. Para o bom observador, sempre haverá uma perna mais curta, um olho mais caído, uma narina mais aberta...

Certo é que nossa mente busca simetria nas pinturas, nas catedrais e nas notas musicais. Entre passado e futuro, entre os óculos do John e o olhar do Paul, entre Beatles e Stones, nas cores da barba e do cabelo, assim no céu como na terra, assim na serra como no litoral. Entre mãe e pai, pai e filho, num par de filhos, a gente idealiza simetrias que não existem. Buscamos fatos que se repitam, uma ordem, um sentido, um padrão, um padrão, um padrão... Um padrão que não há.

O mundo é impar, não dá para dividir em duas metades iguais."

Trecho do novo livro NAS ENTRELINHAS DO HORIZONTE, de Humberto Gessinger - Belas Letras

quinta-feira, 10 de maio de 2012

.pelo telephone!



Bom, essa semana falarei sobre um projeto muito bacana de um super amigo meu: André Neto [vocalista da Banda Lítera que normalmente falo e divulgo aqui]. O "Pelo Telephone".

Segue nossa conversa outro dia:
E do projeto, André?! Fala-me mais dessa ideia?! A ideia de "Pelo Telephone" é reunir as principais canções de samba canção e choro, e gravar pelo telefone as músicas remetendo a qualidade que as canções ficavam em tempos pretéritos. Por enquanto o projeto contempla gravar as canções pelo telefone e fazer vídeos dos locais aonde aconteciam as rodas de samba em Porto Alegre outrora.  
Tu que inventou esse nome?! Se sim: SHOW! Não, eu tive a ideia do nome pq na verdade o nome do projeto "Pelo Telephone" ou "Pelo telefone" é considerado o primeiro samba gravado no Brasil. O samba de Ernesto Joaquim Maria dos Santos (Donga) e Mauro de Almeida foi registrado em 27 de novembro de 1916 como sendo de autoria de Donga. 
Com a intenção de fazer uma homenagem simples e singela ao primeiro samba canção registrado em áudio, que surgiu a ideia de gravarmos por telefone celular as canções de choro e samba canção, batizando esse projeto despretensioso de Pelo Telephone.
E o Alex? Será teu parceiro nesse projeto? Sim. Ele vai aparecer tocando violão, bandolim e cavaquinho. O cara apareceu como um grande parceiro nesse projeto. Toca muito! Fechou exatamente com o que eu queria fazer, além de ser um grande amigo.  
Tri, né?

O projeto pode [e deve ;-)] ser acompanhado via: http://pelotelephone.tumblr.com/.

Pra curtir:


Ainda conversando com o André:
(...) escolhi um das esquinas de Porto [Alegre - RS!] em que o Lupicinio cantava outrora as serestas com os boemios.. serão 10 musicas no total!
Guris: ficaremos ligados! Sorte pra vcs ;-) !

quarta-feira, 9 de maio de 2012

.some songs - cycles.


"Fecho os olhos, escuridão
Passa a vida na TV
Passo lento, passo a passo
Passo sempre, passarei

Fecho os olhos, passo longe de casa
Passa o tempo, num passado que passei
Fecho a porta, estou sozinho na sala
Passo sempre onde te encontrei"                                               (...)
"Por favor não acenda a luz
Prefiro te olhar assim
Toda nua e crua...
Só pra mim.

Vem, chega mais perto
Quero te sentir
Não vá embora, agora sei...
Preciso de ti"
"Teu silêncio fala mais alto que teus próprios gritos                    (...)
Somos todos iguais e mais capazes de entender
Perco a confiança no sonho e entro num labirinto
Somos todos iguais e mais capazes de refletir...
O que acontece lá fora
Livros de história vão nos contar
Sobre momentos passados que um dia passou por aqui."

(...)

"Chuvas de cristais iluminam o céu naquela direção
Ventos/temporais, me ajudam a sair dessa prisão"
(...) 

"Sigo um caminho, refaço minha vida
Te deixo guardada em mim
Quem sabe um dia volte a te ver
Quem sabe nossa história refazer"
(...)

"Não prometa o que não pode cumprir
Não duvide do que eu possa te dar"

(...)

"Então me diga!
Que nunca imaginou
A gente ser feliz...
Um dia de amor."


terça-feira, 8 de maio de 2012

.pauta do dia.




Eu quero que você se sinta
A pessoa mais feliz do mundo
A única capaz de ser pra mim
Um sonho em noite de insônia 

(cazuza)

segunda-feira, 7 de maio de 2012

.viver é plural.

Vejam e ouçam!

A união faz a força, com muita harmonia...

Isto que é trabalho em EQUIPE e comprova, mais uma vez, aquela frase do Guimarães Rosa que tanto gosto, "viver é plural"!




.descobri Mempo Giardinelli... e me apaixonei.





Às vezes, Jaime, penso que a gente podia viver numa melhor se certas coisas deixassem de ter importância. Se a gente fosse capaz de desligar, não é? De não fuçar em histórias antigas, daquelas que balançam, lá por dentro, um lugar no corpo. Bem, talvez não seja esse o problema. Talvez certas coisas sejam menos importantes do que penso e eu necessite delas como fantasmas. A gente não pode viver sem fantasmas, certo?







_________________________________________


Mempo Giardinelli é escritor e jornalista, nascido na Argentina. É autor de uma obra premiada, que se desenvolve em vários gêneros, como contos, romances, relatos de viagem e ensaios - e que está traduzida em vários idiomas.

Para saber mais sobre Mempo e acessar algumas de suas obras basta visitar o blog Corsario de Mempo ou o site do autor.

Boa leitura!

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Quando gentileza atrai gente lesa



Já faz alguns meses que esse site coletivo de piadas vem me inquietando. Antes de ler esse texto, dá uma passadinha http://vakinha.com.br.

O chupim é uma ave conhecida pelo hábito de colocar seus ovos no ninho de outras aves, para que as mesmas possam chocá-los, criá-los e alimentá-los como filhotes. Por isso acabou virando sinônimo de aproveitador. Chupim também é um tipo de pessoa que consta como maioria no Vakinha. Me parece que as pessoas mais chupins do mundo estão ali, pedindo dinheiro para desconhecido.

Reparem os pedidos exdrúxulos, extraordinários, sensacionais, que selecionei. João Evangelista quer R$ 5.000,00 para reforma na Igreja Assembléia de Deus. Básico, né? Dízimo não existe ou tá faltando talento no show da fé? O Glauber quer um Ipad 2 (compra um pra mim também?). Por que cargas d'água eu ajudaria a financiar um Ipad 2 pra essa criatura? O Josafá de Boa Viagem, CE (eee nordeste! Depois me chamam de preconceituosa!) quer R$ 2.000,00 para pagar dívidas (querido, você nunca ouviu falar de uma coisa chamada CDC?). Weelington tinha o sonho de ter um Iphone. Comprou ele em 12 x no cartão de uma amiga (é cilada, Bino!). Agora a tragédia da vida dele chega a ser cômica. Leiam: "A cerca de um mês consegui realizar um sonho que tinha, comprei um Iphone 3gs dividido em 12 vezes no cartão de uma amiga, só que com apenas dois meses, acabei esquecendo meu aparelho em cima do carro, e caiu no asfalto (grifo meu: negrito, itálico e sublinhado, por favor), e meu celular ficou acabado, rodei 12 km procurando ele, e quando achei estava destruído, conto com a ajuda pra pagar pelo menos, por que pagar uma prestação sem ter o Iphone ta sendo muito complicado, agradeço desde ja!". Querido, você acha justo que as pessoas banquem uma consequência da sua irresponsabilidade?! Ai WELLYNGTHON, assim você me mata! A Sandra Britto PRE-CI-SA de um tablet, e tem que ser da marca Sansung e com "Bluetoot"(oi?). Quem dá mais? Quem dá mais? Também tem o pedido aberração do dia: o Clayton Tenório completa "neste sábado 34 anos bem vividos e, para conservar esta belezura, peço a ajuda de todos para fazer meu BOTOX® de Aniversário". Parem o mundo e vamos todos descer!

Claro, ganhar dinheiro fácil sempre parece mais interessante aos olhos do lado que não abre o bolso. Por que, queridos, vocês não trabalham para comprar o que desejam? Desde a pré história as civilizações trabalham, como dever, nem privilégio, nem castigo.

Penso que o site foi planejado pensando que os usuários teriam bom senso. Nesse sentido entra uma vaquinha para a sua lua de mel, para angariar grana para uma instituição que ajuda cães e gatos abandonados. O Marcelo está arrecadando recursos para atualização da sala de informática da Associação Beneficente Irmão Mariano Dias, uma entidade filantrópica de assistência social. Justo. O Roberto quer ajuda para pagar a sua formatura na Pedagogia. Não é mesmo fácil bancar um curso, se a noite de formatura é um sonho os amigos podem ajudar né? E o outro fulaninho, que quer realizar um sonho: ir no show da Madonna. Tá bom, vai. Dou um real!

Você sabia que a taxa de desemprego tem sido em torno de 6%, a média mais baixa desde 2002? Isso reforça a percepção de que o mercado de trabalho continua aquecido e oportunidades para quem QUER trabalhar existem. Mas se você faz parte desses 6%, você pode complementar renda vendendo Avon, Natura, salgados, ou alguma representação. Que tal? Assim você conseguirá bancar os seus desejos de consumo sem CHUPIMZAR (meu neologismo) os outros. Se você vem de uma familia pouco abastada, batalhe pelo seu dinheiro ou diminua os desejos de compra. E pare de abusar da boa vontade coletiva para benefício próprio.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

.extra, extra: show da Madonna em Porto Alegre!

Show da Madonna em Porto [Alegre!!!] dia 9 de dezembro...
... ingressos comprados!





[]s

quarta-feira, 2 de maio de 2012

.3palavras.


Meu peito é um vazio
esperando teu nome
ja não sei o que faço,traço
só queria ter o poder de te ter e qerer cada vez mais
não desistir...vou resistir!A vida sabe o q faz!!

Eu continuo plantando sempre!
Mas a areia avança
Deserto na terra e na alma!
Hoje tem dinheiro no banco!
Mas isso não me basta!!!

Quero te dizer 3 palavras
Que nunca me sairam tão fácil
Hoje eu derrubo um exército
Ressuscito o Lázaro
Mas não é nada sem você ao meu lado!!!

Eu vou correr sem destino
Até trazer de volta o caminho
Que eu perco sempre longe do teu carinho!!!


(Marcos DaCosta)

.como é longe uruguaiana.


Nada se compara a casa da gente...

Nossa primeira ida ao Velho Oeste depois que transferimos, definitivamente, nosso CEP para a capital. É tudo muito legal, muito bacana essa expectativa toda de uma viagem... “o melhor da festa é a expectativa”.
Dois dias na estrada, um de ida, outro de volta... dois dias de reencontros, um deles de trabalho... onde foram parar os dias de descanso? Existe viagem para descansar e que realmente se descanse? Ouvi dizer que é o que chamam de férias...

(...)

Muito bom, muito legal... estava lá quando fiquei sabendo que meu cumpadi Julio Neto e comadre Milenz estão voltando para a capital... irão deixar Tapejara. Não sei, mas alguma coisa me diz que o verdadeiro motivo desse retorno foi o Quero-Quero no telhado... pra quem não sabe, não conhece essa ave, quero-quero é uma ave que vive nos campos... camuflam seus ninhos no chão e quando ocorre de aparecerem em locais indevidos, incomuns, como em telhados, é no mínimo suspeito... é o começo do fim.

(...)

Como é longe Uruguaiana... o retorno é mágico, chegar em casa e ver que aquele é o teu lugar, que aquele, mesmo que a pouco tempo, é o teu lar e que tudo, tudo o que mais se quer, é estar em casa.

(...)

...faria tudo outra vez, mas não hoje, preciso descansar.