Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O aleatório

Ao "acaso" me deparei com este livro ontem. Comecei a ler sem pretensão alguma e estou adorando. Imaginei todas as mesas do vezenquando em um debate gostoso sobre o conteúdo do mesmo. Trata-se do livro - O Andar do bêbado, de Leonard Mlodinow.

Trago uma pequena passagem do livro para que vocês apreciem:

O filósofo e matemático britânico Bertrand Russel escreveu: "Todos começamos com o realismo ingênuo, isto é, a doutrina de que as coisas são aquilo que parecem ser. Achamos que a a grama é verde, que as pedras são duras e que a neve é fria. Mas a física nos assegura que o verdejar da grama, a dureza das pedras e a frieza da neve não são o verdejar da grama, a dureza das pedras e a frieza das neve que conhecemos em nossa experiência própria, e sim algo bem diferente.


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

.600 de estudo.

Final de semana será de mudança... literalmente. Da Felix da Cunha para a Dr. Timóteo. Que endereço informar no pedido de compra da pré venda do CD (Insular) e livro (Seis Segundos de Atenção) do HG?
 
O legal dessas pré-vendas é que o livro já vem autografado, não preciso me expor ao ídolo. Acho o “fim da picada” querer mostrar pro cara que sou fã e que sei tudo sobre sua obra.  Até já aconteceram esses encontros em outras oportunidades,  disfarcei bem, não deixei perceber...  já comentei sobre isso aqui na mesa 3, se não me engano.
 
Bueno...
 
Insular: Humberto Gessinger lança INSULAR, seu 20º álbum. O disco é o primeiro só com músicas inéditas em 10 anos e traz participações especiais de grandes nomes da musica gaúcha como Luis Carlos Borges, Bebeto Alves, Nico Nicolaiewsky e Frank Solari.

"Resolvi assumir o nome solo pois não usei uma banda fixa na gravação do INSULAR, convidei vários músicos que admiro, usei várias formações. Mas não houve ruptura na maneira como escrevo e toco, só amadurecimento.” (HG)

“Fui muito rigoroso na escolha do repertório, na busca dos convidados, da formação certa para cada música. Nesta estrada já longa, com 19 discos, aprendi que cada um deles tem sua maneira de chegar ao ouvinte. Acho que INSULAR está entre os discos mais misteriosos que gravei, cheio de detalhes, várias camadas, ligações entre as músicas, coisas que o pessoal vai descobrindo aos poucos. Não esperei dez anos para gravar um disco que ficasse velho em quinze minutos.” (HG)


 Seis Segundos...:

A única coisa que podemos fazer com o tempo é escolher o que fazer com ele. Na busca pela faísca da criação da sua arte, que ele persegue pelas noites como uma estrela guia, Humberto Gessinger nos mostra em seu novo livro de crônicas que fazer um segundo valer a pena leva tempo. Um tempo que, às vezes, não queremos ter. Um tempo que não podemos parar nem fazer andar mais rápido. Não é tão fácil quanto parece encontrar um instante mágico, o centro da nossa originalidade, do nosso talento, e manter a conexão com ele. Leva mais do que 600 anos de estudo. Leva 6 segundos de atenção.
 
 
 
 
(...)

...na dúvida do endereço, irei retirar direto no escritório de POA. = )

 
 
Há braço!
 
 
 


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

.os reconhecimentos que promovemos.


Há pouco tempo, li umas críticas sobre o livro Encantador de Pessoas (já falei dele aqui) e gostei bastante do que li. Parecia ser um livro bem interessante. Mas como tenho o hábito de fazer uma pesquisa antes, atrás do livro em pdf, e ler alguns trechos antes de comprá-lo, foi o que fiz. Achei este link aqui que disponibiliza a introdução do livro e pude verificar que realmente era uma leitura que me agradava. Fica a dica, então, para quem se interessar pelo livro. ;)

No meu último post prometi que ia falar de um dos capítulos do livro que gostei. O que me leva a escrever sobre isso é que, além de ter prometido que falaria, a mudança a partir do sentir é um tema que me interessa bastante.

A perspectiva de reflexão do capítulo é acerca do sentido que damos à vida, das relações positivas e da visão sistêmica do futuro; do valor que, em determinamos momentos, damos ou deixamos de dar para as pessoas que nos são caras, independentes de estarem próximas ou não; do reconhecimento que promovemos, ou não, a quem tanto amamos.

Mas a grande questão que o livro me trouxe foi sobre QUEM amamos. Será que reconhecemos quem realmente deveríamos reconhecer? Será que nossas energias são depositadas em quem realmente deveria ter nossa atenção?

Para se chegar a alguma resposta (não sei se esse é o termo mais adequado) o autor do livro propõe o seguinte exercício que ele realiza em workshop: a simulação  do próprio velório. Simmmmm, o assunto a partir daqui é fúnebre! É para os fortes! Para aqueles que não tem coragem de seguir a leitura adiante, eu me despeço com essa música do Jorge Drexler (que eu adooooro)... Bj, e até a semana que vem! Voltem sempre! ;)




Para você que se arriscou, segue o exercício:


Imagine que você faleceu.  
Imagine sua morte na posição em que se encontra, neste local, neste momento. Imagine seu corpo sendo levado ao velório e então seu caixão aberto.
Quem está no seu velório?
O que dizem essas pessoas?
O que pensam a respeito do que foi a sua vida?
Quem você ama está lá?
Imagine seu próprio velório. 
Em determinado momento, um pequeno grupo se aproxima do seu corpo e o toca, 
em um movimento misto de carinho e de dor.
Quem está tocando você?
Essas devem ser as pessoas mais importantes da sua vida. 
Então, imagine a dor que eles, e você - sentem numa cena dessas. 
Você não pode falar nada, afinal está morto. 
Pode apenas reconhecer essas pessoas e imaginar o calor delas ao tocar seu corpo.
E se lhe fosse permitido falar algo em apenas dois minutos? 
Que recado você daria a essas pessoas?
Que recado daria na sua despedida?
Que pedido de desculpas você faria?
Como demonstraria o seu amor?
Agora, como num passe de mágica, sinta a energia do seu corpo aqui e agora. 
Sinta o peso do seu corpo tocando o sofá ou a cadeira em que está sentado neste momento. 
Sinta que está vivo e que isso foi apenas um exercício.


Você não está morto! 
E agora cabe somente a você definir o que fará com seu tempo restante. Que aspecto de você morre neste momento? Que culpas e experiências vividas, as quais você não pode mais mudar, precisam morrer para que você possa renascer? Que parte do seu passado precisa ser enterrada para que você possa ir adiante? Sinta o luto  por aquilo que quer mudar para então iniciar um recomeço. Um novo contrato individual daquilo que quer buscar. Temos o direito de rever nossos comportamentos e seguir adiante rumo a uma vida mais feliz.


Daquilo que não se mensura

Tempo de chuva e de reclusão.
A lareira está acesa, fogo alto e brilhante.
Mensagens invadem o celular e o Facebook diz que você tem novos (velhos) amigos querendo fazer parte da sua rede.
Que "barato" esse sentimento que invade a alma e nos faz relembrar  tudo aquilo que foi vivido.
Karl Jaspers, disse que um sentimento não garante nada, um sentimento também não consegue enganar. Um sentimento não tem realidade fora da psique que o sente. Ele não é um acontecimento, uma coisa. Ele está enraizado em si próprio. Por isso ele pode parecer passageiro como uma borboleta ou imortal como um Deus.
E  é esse sentimento que me intima estar aqui, vezenquando, na companhia de pessoas tão especiais.


domingo, 25 de agosto de 2013

.o vencedor do óbvio.

No futebol e na vida o óbvio, na maioria das vezes, é que dá o melhor resultado. Cada peça tem seu lugar, cada um joga melhor em determinada posição e o tempo sempre é necessário para colher coisas boas. A convicção e a disciplina são determinantes para o sucesso de qualquer coisa. Nada acontece por acaso, nem por mágica. Na vida e no futebol o trabalho é fundamental para os resultados, se um time não se empenhar nos treinamentos não vai ganhar em campo.
>>>
O Luxa no Grêmio não treinava, por isso saiu. Com o Renato o Grêmio é outro. É uma questão de saber motivar os jogadores.
>>>
Mas ao contrário do normal, os resultados atuais do Grêmio não estão em uma escalação óbvia. O Renato tentou o óbvio e não deu certo, por sorte caiu do céu uma escalação aparentemente absurda, mas que está ganhando e jogando melhor que antes.
Não tem certo nem errado, tem resultados positivos. Vitórias e derrotas determinam se estamos certos.
>>>
É uma situação muito complicada, nós sonhamos em fazer coisas diferenciadas, queremos ser diferentes, ter idéias inovadoras e ganhar o mundo com a nossa inovação. Mas o ótimo é inimigo do bom e fazendo o óbvio podemos ter um resultado bem satisfatório.

e daí o que se faz???? Não sei...
>>>
A DUPLA:
GRE: não surpreende a campanha no Brasileirão, surpreende o time que está ganhando. 3 zagueiros e 3 volantes nem o Roth!!! Se ganhar tá valendo...
NAL: Se ganhar tá valendo! Se não ganhar, todos os desafetos do Dunga vem se aproveitar da situação. O Inter tem um dos melhores planteis do país, não faz a campanha que poderia e nem joga o que pode. Mas o Dunga ganha pra jogar e não joga pra ganhar.
>>>

HOMENAGEM A CHUVA... ou não!


sábado, 24 de agosto de 2013

Nascer é traumático.

E lá fui eu numa sexta à noite sozinha ao cinema ver um filme sobre ~parto~ (oi?).

Aí que eu acho que tem muita coisa pra se pensar nesse filme. Ainda estou em processo. Vejam se possível!

....


Desafiador


A insanidade coletiva me assusta. A indústria do nascimento é cruel, fria e desumana. Humanidade, ainda quero acreditar em você. Que futuro me espera? 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

.saudade imposta pela ausência é mais que natural.

- Não te preocupa com isso, Marquinho.
Foi o que o meu pai me falou no sonho que tive com ele essa noite quando lhe disse que lamentava não ter estado com ele no dia em que partiu...

Não sei dizer o motivo, mas hoje acordei diferente, me sentindo mais leve... acho que já li em algum lugar sobre comunicação através do sonho. Tenho minhas dúvidas quanto a isso. Mas confesso que estou mais confortado.

A conversa/sonho com meu pai se deu dentro de um carro, em Uruguaiana, mais precisamente na avenida Presidente Vargas, esquina R. Flores da Cunha. Ele estava dirigindo e eu passando a mão esquerda em suas costas.
(...)
Há quem interprete sonhos/ há que jogue no bicho o sonho interpretado/ há quem interprete errado o sonho sonhado/ há quem interprete certo o sentimento existido.
Há braços

domingo, 18 de agosto de 2013

.dunga quixote e seus moinhos de vento.

Quatro empates seguidos, cinco jogos sem ganhar. O Inter está abaixo do plantel que tem. O Dunga é competente, mas tem uma raiva de todo mundo que pode complicar a carreira de treinador. Na seleção ele fez um bom trabalho, ganhou o que tinha que ganhar, menos a Copa. Só que o contexto do futebol estava apenas esperando ele perder pra cair em cima. No Inter pode acontecer a mesma coisa, com os resultados positivos os críticos ficam quietos, mas com essa fase ruim, vem à tona os desafetos do Dunga. Ele é desrespeitoso com a imprensa e com os torcedores, dá a impressão que apenas ele sabe sobre futebol e o vestiário é um mundo à parte onde ele é onipresente, onipotente e onisciente. Dentro do Inter ele já criou confusão com diretores e conselheiros, mas os resultados positivos faziam dele inquestionável, agora ele abre flanco para as críticas e o Dunga não tem equilíbrio emocional pra conviver com críticas.
As coletivas são ridículas, declarações como: “... a bola não entrou, se tivesse entrado a situação seria outra” ou “.. o Inter toma muito gol? Mas vocês não gostam de emoção, gol é emoção...”. 
Nas entre linhas o Dunga nos chama de burros. Inverte perguntas e responde com ironias descabidas para o profissional competente que ele é.
O Dunga é um ótimo treinador, mas uma pessoa muito amarga e rancorosa, não admite o rótulo de 90 “a era Dunga” e até hoje ele quer se vingar da imprensa, Dunga Quixote e seus Moinhos de Vento.
>>> 
A DUPLA:
GRE: Renato é o Professor Pardal, inventa coisas teoricamente absurdas como 3 zagueiros e 3 volantes, ganha e acaba com as críticas. O resultado é a diferença entre a ivenção e a convicção.
NAL: se o Inter não ganhar as partidas o trabalho do Dunga vai por água abaixo, pois o Inter não joga pra ganhar, ganhar pra jogar.
>>> 

LOS HERMANOS, O VENCEDOR PARA O DUNGA:


domingo, 11 de agosto de 2013

.pais do dia.


Domingão! Dia dos pais. Bem bom.
>>> 

Claro, lembro do meu pai me levando para os jogos no Olímpico na década de 80. Lembro da gente na final da Libertadores em 1983 vibrando no estádio e acompanhando a final em Tóquio, os gols do Renato e somos campeões mundiais. Mas a passagem da final interclubes tem uma coisa muito marcante, o Guri tinha tocado na sexta (terceira noite da 13ª Califórnia da Canção) e no mesmo fim de semana que o Grêmio ganha seu maior título, a música Guri entra na vida das pessoas.
O Guri é uma parceria de um pai se desdobrando pra ser pai e um filho de 8 anos. O meu pai ao compor o Guri, fez junto comigo e me “deu” de presente. Depois disso o GURI virou o que virou.
Mais uma estória bonita dessa canção mágica.
>>> 

Os pais sempre se desdobram, mas quero deixar um especial abraço para meu Cumpadi Feio (Mesa 3), ele é minha referência de pai atual, com três filhos não deixou de ser um pai dedicado.
Valeuu Feioso! Parabéns
>>> 

"Não é fácil hoje em dia:
Ser homem
Ser hetero
Ser casado
Ser fiel
Ser pai
Ser atento aos filhos e esposa."

Parabéns pra todos!!
>>> 


GURI NA ORIGEM, UMA CANÇÃO MÁGICA!!!

domingo, 4 de agosto de 2013

.domingo com grenal.

2:16 pm
Quando fiquei sabendo sobre a orientação da PM de ter torcida única no GREnal de hoje, minha primeira reação foi de conformidade com a decisão, afinal são selvagens e não existe mais possibilidade de termos jogos sem violência. Isso vale tanto para os colorados quanto para os gremistas, eu fui em vários GREnais nos anos 80 e início dos 90, eu era criança entre 8 e 13 anos e ia tranquilo com meu pai até no Beira-lago. Com o tempo foi ficando cada vez mais violento e deixei de ir.
Mas pensei melhor sobre a questão de torcida única, ainda bem que reverteram a decisão da PM e teremos alguns colorados. Não dá pra se render aos marginais e não dá pra aceitar que os governantes escondam a incompetência administrativa numa política punitiva a todos os cidadãos.
Isso é sério, os governos não governam, eles apenas criam dispositivos para proibir e punir todos, ao invés de pegar quem burla as leis.
O Inter é o favorito, tem um time mais pronto. Sorte a todos, e que ganhe o GRÊMIO!!!
>>> 
8:39 pm
O JOGO:
O Grêmio inicia o jogo com um 3-5-2 que nunca tinha jogado antes, temi. O Inter na mesma, jogando sério esperando o adversário errar.
O Grêmio surpreendente melhor até fazer o gol, de pênalti, o Inter resolveu jogar, uma única jogada gol, 1x1.
Depois foi o Grêmio tentando e o Inter esperando.
As expulsões serão comentadas como justas, ou injustas, mas nada que determine o resultado final.
No geral foi um jogo igual, o empate ficou justo. O Inter não pôde jogar e o Grêmio não joga mais do isso, mas valeu a vontade!
Agora reclamaremos do juiz e seguiremos a vida, Tudo igual na Republica do Pampa.

>>> 
Indicação do meu amigo Luciano Galofaro... Da-le Rauzito!

"Pra que pensar se eu tenho o que quero
Tenho a nega, o meu bolero,
A TV e o futebol..."