Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

.fluir.

Semana iniciando oficialmente hoje e eu resolvi dividir com vocês a dica de um livro (já que me pediram e eu adooorooo). :-)

Esse livro eu li há uns dois anos, tem como título Fluir (flow): Una Psicologia de La Felicidad, escrito por Mihaly Csikszentmihalyi.

Como já disse aqui, em alguns momentos, a maioria das pessoas diz que a relação que temos que ter com os livros é de desapego, é de ler e passar o livro adiante, para outros aproveitarem a leitura. Mas eu fujo à regra, eu sou, então, a exceção. Os meus livros são tesouros para mim. Eu dificilmente os empresto! Sempre os revisito, os releio.

Mas com o Fluir foi diferente...

Certa vez, uma pessoa muito especial me pediu uma dica de leitura para uma situação específica e indiquei esse livro. Pela primeira vez senti vontade de não só emprestar, mas dar o livro de presente. E ele se foi! Foi para um lugar onde seria apreciado e guardado com muito carinho, eu acredito. Foi com todo o meu desapego e com o meu carinho em poder proporcionar uma leitura muito especial a quem eu tanto admirava.

Foi, mas deixou este entendimento:

A todo momento é necessário refletirmos a respeito da fragmentação que vivemos em todas as esferas da vida humana. Estamos, cada vez mais indefesos, inseguros e isolados uns dos outros e, principalmente, isolados de nós mesmos. Nossa visão materialista da vida nos estimula a nos centrarmos em bens materiais e esquecermos, cada vez mais, do nosso 'eu'.

Vivemos uma rotina diária exaustiva. Agimos sem refletir sobre nossas ações. Não dá tempo para refletir! Corremos contra o relógio. Estamos perdendo a oportunidade de dar significado ao que vivemos, de encontrar recompensas aos acontecimentos de cada momento, de cada experiência.

O livro aborda que as pessoas que sabem controlar a sua experiência interna são capazes de determinar a qualidade de suas vidas. A felicidade não é determinada pela aquisição de bens materiais, é uma condição vital que cada pessoa deve preparar, cultivar e defender individualmente.

Fica a dica! Boa semana! ;-)

9 comentários:

  1. "A felicidade não é determinada pela aquisição de bens materiais"

    Continuaremos a viver cada vez mais isolados uns dos outros... Mas pra que viver socialmente se podemos comprar felicidade?

    ResponderExcluir
  2. Mas olha só!

    Eis que chego neste pub, caminhando devagarinho, ainda com sono, e já encontro gente sentada nesta mesa!

    Bommmm diaaaa!!! :D

    ResponderExcluir
  3. É verdade, Feio!
    A gente tem essa falsa ilusão de que tudo se resolve com o dinheiro!
    Que pena!
    A vida passa e passamos com ela!

    ResponderExcluir
  4. E digo isso pela lógica que vivemos... todos!
    Esse trabalho desenfreado em que nos vemos, em que nos colocamos... para a própria sobrevivência... nesse mundo cada vez mais competitivo...

    ResponderExcluir
  5. É verdade...e o botão "automático" ligado. Quero desliga-lo.
    Cada ato, cada projeto, cada ação deve ter significado, fazer sentido...
    Esta é a minha meta!

    ResponderExcluir
  6. se eu não fosse pai
    já teria saído por aí

    só a fluir...

    (fluo, como posso...)

    ResponderExcluir
  7. Bueno, dentro da minha visao pseudo-anarquista misturada com o relativismo... cada um sabe da sua felicidade, seja material ou nao... nao dá pra determinar que alguem que corre atras de bens materiais nao é feliz.. e vice versa! cada qual nada igual!! ehehehe, dentro do meu achismo...!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cada qual nada igual!" Adorei!

      É bem isso, Júlio. Eu também concordo contigo.

      Trazendo para o que aborda o livro, a gente vive numa correria que nem conseguimos parar para pensar no que realmente nos traz felicidade.

      Deveríamos parar e pensar?

      Excluir
  8. Poucas pessoas são críticas o suficiente pra entender que não é o material que vai nos trazer a felicidade. Eu não me acho mto consumista embora quem não me conheça deve achar que sou. Eu sei o ponto de parar, qdo eu tô com muito desejo de consumo eu tento reavaliar qual é o ponto psicológico, ou mesmo psiquiátrico rs, que tá pegando. =) Tenho avaliado que felicidade é resultado de experiência e não material.

    ResponderExcluir