Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

.o calendário emocional.



Volta e meia ando repetindo por aí que nasci no Rio Grande errado. Era para ter sido no do Norte e eu fui 'cair' justo no do Sul. Frio, chuva, umidade... são coisas que realmente me tiram o ânimo.

Nem aquelas coisas ditas boas, características do inverno, como uma lareira, um bom vinho, um fondue... nada disso me entusiasma. Realmente acho que eu sou bem mais feliz no verão. Sol, praia, calor... tudo isso tem um significado bem maior para mim... é um outro astral!

E daí, de repente, eis que surge uma pesquisa para 
embasar cientificamente os meus pensamentos e comportamentos. :-)





O CALENDÁRIO EMOCIONAL:
como compreender as influências das estações e as etapas emocionais para ser mais feliz, sentir-se realizado e controlar sua vida.



O autor, John R. Sharp, um psiquiatra de Harvard, apresenta como nossas emoções estão profundamente ligadas à mudança das estações e aponta de que forma reconhecer como isso nos afeta. 

Ao longo de duas décadas de prática psiquiátrica, ele tem trabalhado com muitas pessoas que tiveram as mesmas angústias emocionais em momentos específicos do ano: como meninas adolescentes com depressão quando chega o inverno, homens de meia-idade que sofrem de ansiedade quando se aproxima o verão, pessoas que tomam decisões radicais na primavera... 

No livro O Calendário Emocional, o autor revela como as mudanças ambientais nos afetam psicologicamente de uma forma muito profunda. A partir desse reconhecimento do que e de que forma nos afeta, é possível estabelecer estratégias a fim de lidar de uma forma diferente e resolver as crises antes mesmo delas aparecerem.

Destaquei alguns trechos, que acredito que sejam interessantes, sobre o inverno e o verão, onde o médico aponta, que, apesar de muitas pessoas - sentirem-se 'muito bem, obrigada' -, no inverno, por exemplo, o percentual de pessoas que apresentam problema decorrentes dessa estação é grande. 

Alguns estudos têm demonstrado que a diminuição da luz solar no inverno dificulta que o corpo mantenha suficiente energia para manter as defesas num certo nível e isso põe em risco as funções autoimunes. Também variam nossos níveis hormonais durante o inverno, os quais, talvez, afete a nossa conduta sexual. Algumas pessoas se sentem sexualmente desequilibradas durante o inverno. Outras têm uma diminuição da libido e algumas pessoas apresentam altos e baixos mais acentuados do que em outros períodos do ano.

Em relação ao verão, o psiquiatra aponta que essa é uma estação, em geral, muito carregada de uma carga emocional e que traz, intrinsecamente, recordações da infância. É um período cheio de expectativas de como devemos se sentir e se comportar, repleto de imagens e mitos sobre um tempo sem preocupações, de romances ao sol e de felicidade inocente. O verão traz consigo uma sensação de ser uma época de alegria e liberdade absoluta.

Os dias e as épocas do ano mais importantes de nosso próprio calendário emocional não se alinham necessariamente com as datas e temporadas do calendário oficial, tais como festividades e as fases naturais do sol e da lua. Esses pontos críticos e desalinhados podem produzir ansiedade, confusão e nos causar alguns danos.

Quais são os motivos que marcam nossos calendários emocionais? As datas mais complicadas e intensas são aquelas que estão vinculadas aos aspectos emocionais. Todas elas, de algum modo, tem a ver com nossas recordações. São associações gerais com épocas passadas ou recordações de acontecimentos específicos e sua relação com a temporada do ano em que aconteceu.

Que tenhamos um calendário emocional não representa nenhum problema. O importante é que sejamos conscientes de nosso próprio calendário e que saibamos que a influência negativa desses períodos conflitivos pode melhorar e que, com cuidado e atenção, podemos aprender a viver os dias, semanas e anos com um sentimento maior de positividade e aceitação das estações.

Fica a dica de leitura! Boa semana! :)

7 comentários:

  1. Carla, então quer dizer que gostar ou não de uma estação tem a ver com as lembranças que temos delas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, eu diria que sentir-se bem ou não numa estação tem a ver com as lembranças que temos dela e como isso interfere emocionalmente em cada um, dentro da perspectiva do autor.

      Ando refletindo sobre o meu 'não sentir-se bem' no inverno. Tenho buscado resgatar lembranças negativas(provavelmente)que tenha experienciado nessa estação durante a infância. Lembranças que, inconscientemente, revivo a cada novo ano.

      Excluir
  2. Não encontrei o livro em Português... Tem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, ainda não tem a tradução em português, apenas em inglês, espanhol, turco e chinês.

      A edição traduzida que tenho foi publicada por uma editora da Espanha.

      ;-)

      Excluir
  3. como dizem em Uruguaiana: "é tudo uma questã de se adatá"

    ResponderExcluir