Mesas

Mesa 1
Carla
Mesa 3
Marcus
Mesa 8
Cris
Mesa 10
Victor Hugo
Mesa 11
Amanda
Mesa 12
Juliana
Mesa 14
Karina

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O dia em que tirei a roupa de mulher-maravilha e coloquei no varal

Saudações meus queridos!
Hoje eu quero falar sobre o fabuloso universo da Marvel.
Quem nunca se colocou nas aventuras criadas para os personagens do Super-Homem, Mulher-Maravilha, Homem-Aranha, Mulher-Gata entre tantos outros?
Não sei que tipo de associação fazemos para  sentenciar ser possível adquirirmos suas identidades na vida real. Sim, porque às vezes, para não dizer DIARIAMENTE, fazemos coisas que até Batman duvidaria ser possível.
Puxando a brasa para o meu gênero, por exemplo, ser boa mãe, excelente profissional, dedicada educadora sempre em busca de mais conhecimento, sedutora esposa e ágil dona de casa requer muitos poderes!
E não é que chegou o dia em que coloquei meu uniforme de Mulher-Maravilha para lavar, estendi no varal e me vi sem meus super poderes! PARA TUDO. Eu sou uma simples mortal. Como assim?
É, não é fácil se sentir frágil. E para deixar essa mesa mais leve, vou rir um pouco do meu momento.
Sabem o que descobri?
Que ELES,os super-heróis, também fazem coisas comuns. Exatamente como nós, simples mortais.

2 comentários:

  1. Adorei, Cris!

    Uma vez li em algum lugar que ao escolhermos ser mais de uma coisa (mãe, profissional, esposa, dona de casa...) passamos a ser boas e não mais excelentes.

    Segundo essa 'teoria' (não sei se pode assim dizer), as pessoas precisam aprender que não se pode ser 'excelente' em tudo.

    Será? Um pouco reducionista essa linha, né?!

    Se sim ou não, no meu caso, pelo menos alivia um pouco a cobrança, porque eu 'deixo a desejar' em muitos aspectos... :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris, não pense que a cobrança recai apenas no teu gênero.. as cobranças são apenas diferentes do outro lado.

    Pensa bem: acha que é fácil quando um homem se sente frágil??
    Aquele que deve ser sempre o machão da casa, que tem que segurar todas as barras, que foi criado para ser o provedor (R$), para não chorar, etc... daí acontece algo que te 'tira o chão', que te mostra que teus poderes são extremamente limitados... não é nada fácil.

    OBS: Quando falo em sentir-se frágil, obviamente não me refiro a questões sexuais/afetivas, mas sim à complicada rotina que nos é imposta no dia-a-dia.
    Bjs

    ResponderExcluir